Posts com Tag ‘exposição’

Lúcia Hiratsuka - Contos da Montanha - 2005

Lúcia Hiratsuka - Contos da Montanha - 2005

Até 21 de junho, quarenta e dois artistas recriaram alguns dos contos de fadas favoritos de adultos e crianças na encantadora mostra Era uma Vez… Arte Conta Histórias do Mundo. Especialista no assunto, que já lhe rendeu um doutorado, a curadora Katia Canton espalhou as 114 obras da coletiva por três andares e pelo subsolo do Centro Cultural Banco do Brasil. O resultado é de uma organização impecável.

Nazareno - Chapeuzinho Vermelho - 2008

Nazareno - Chapeuzinho Vermelho - 2008

Há módulos dedicados aos três autores essenciais do gênero: o francês Charles Perrault, os alemães Jacob e Wilhelm Grimm e o dinamarquês Hans Christian Andersen. Em meio a pinturas, colagens, ilustrações, esculturas, ouvem-se gravações de histórias narradas por convidados, entre eles a atriz Cristina Mutarelli e o grupo infantil Palavra Cantada. Há visões diversificadas das conhecidíssimas Chapeuzinho Vermelho, Cinderela e O Patinho Feio.

Veja as reproduções de gravuras do francês Gustave Doré (1832-1883), um ilustrador genial. Ótima surpresa aguarda os visitantes no subsolo: o cearense Luiz Hermano transformou o antigo cofre do banco em uma floresta encantada. Ao redor de sua instalação, contos da África, Rússia, Japão, Itália e Oriente Médio são lembrados. A carioca Beatriz Milhazes, por exemplo, apresenta uma série de oito belos desenhos inspirados em As Mil e Uma Noites.

Centro Cultural Banco do Brasil – Rua Álvares Penteado, 112, centro,  3251-5644, Metrô Sé.  Terça a domingo e feriados, 10h às 20h. Grátis. Até 21 de junho.

Fonte: Veja São Paulo

Anúncios

bm_33A figura feminina retratada em traços delicados, formas redondas e curvas que trazem leveza. As esculturas em bronze da artista plástica Bea Machado mostram a beleza e sutileza da mulher, e serão apresentadas ao público na exposição “Formas e Copas”, a partir do dia 12 de maio, na Nova André Galeria, em São Paulo.

A artista utiliza o Bronze como suporte para suas esculturas por ser o mais popular metal, ter propriedade de se expandir um pouco enquanto esfria, ressaltando todos os detalhes do molde, principalmente ao criar figuras em ação. As grandes civilizações da antiguidade começaram a utilizar o bronze para a arte e, também, para a fabricação de armas como espadas e lanças.

Já a tinta acrílica sobre tela foi escolhida por ser um material de grande durabilidade, permitindo criar tanto opacidade quanto transparência. Suas propriedades óticas, físicas, mecânicas e químicas tornam o acrílico versátil e adaptável à arte, permitindo ressaltar a criação artística.

O crítico de arte húngaro Georges Racz explica que: “A escultura de Bea Machado é um bom reflexo da própria artista, de sua poética interior, da carinhosa afetividade ligada à figura humana, do sopro de humanidade e de sentimentos que procura insuflar em muitas de suas criaturas. Bea é uma escultora voltada na direção da figura e é justamente esta faceta que exibe nesta exposição.”

bm_34Bea Machado também faz um comentário sobre seu trabalho: “Naturalmente, a qualidade do material utilizado e a minha maneira de trabalhar impregnada de emoção, contribui substancialmente ao efeito final. Não estou propriamente interessada na reprodução real, e posso afirmar que em cada escultura acontece um mistério que eu não esperava.”

Sobre a artista
As curvas e as formas redondas são uma constante em suas obras, que já foram apresentadas na Casa de Cultura Laura Alvim, com o título “Simplesmente Mulher”; na Bolsa de Valores “Modularte”; e na Galeria Place des Arts, no Copacabana Palace.

No exterior, Bea expôs no Ipanema Park Hotel, em Porto (Portugal); na coletiva “Bienal Internacional de Arte Contemporânea”, na Flórida (EUA); e na “First Brazilian Contemporary Exibition” (EUA).         

Serviço
Exposição “Formas e Copas”, de Bea Machado – 14 esculturas em bronze e 14 acrílicos sobre tela | De 12 a 26 de maio de 2009 – 2ª a 6ª feira , das 10 às 20 horas; Sábado, das 10 às 14 horas | Nova André Galeria – Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 1753 – Jardim Paulistano – São Paulo/SP | Informações nos telefones: (11) 3064-2242 e 3082-8029 | Entrada Gratuita

Fonte: Assessoria de Imprensa