Arquivo da categoria ‘Meio Ambiente’

Hora do Planeta

Publicado: 30/03/2012 por Elisa em Atualidades, Meio Ambiente

O QUE É? A Hora do Planeta é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos.

QUANDO? Sábado, dia 31 de março, das 20h30 às 21h30. Apague as luzes e participe da Hora do Planeta 2012.

ONDE? No mundo todo e na sua cidade, empresa, casa… Em 2011, mais de um bilhão de pessoas em todo mundo apagaram as luzes durante a Hora do Planeta.

http://www.wwf.org.br/participe/hora_do_planeta_2012/

 

Anúncios

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.

Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.

No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água” (leia abaixo). Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Declaração Universal dos Direitos da Água

Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.

Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º – A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

Fonte: Sua Pesquisa

Papagaios que fugiram de gaiolas para as florestas estão ensinando pássaros nativos da Austrália como os galahs e as cacatuas-de-crista-amarela a falar. Segundo o chefe do departamento de pesquisa e descoberta do Museu Australiano, em Sydney, Martyn Robinson, os papagaios domesticados passam para outros pássaros as frases que aprenderam dentro das casas onde eram criados.

As novas palavras também são ouvidas pelos filhotes de cacatuas australianas desde o ninho, e elas tendem a repetir o que ouvem. Tanto os papagaios quanto as cacatuas pertencem à família dos psitacídeos, que possui espécies capazes de reproduzir sons da fala humana. “Estes pássaros são muito espertos e muito sociais. Comunicação e contato são importantes entre eles”, diz o naturalista.

Robinson explicou que o caminho natural para os papagaios que escapam de suas gaiolas é se juntarem a um bando de pássaros selvagens, a quem acabam ensinando as palavras que aprendem com seus ex-donos. Bandos de pássaros diferentes estariam de misturando e migrando para Sydney, de acordo com o pesquisadores, para escaparem juntos da seca na região de New South Wales, no sudeste da Austrália.

O naturalista afirma que o museu recebeu ligações de pessoas que achavam que tinham enlouquecido ao verem diversos pássaros em seus jardins dizendo frases como “Quem é um garoto bonito?”. De acordo com a publicação científica Australian Geographic, a expressão mais comum entre os novos pássaros falantes é “Hello, cockie” (“Olá, cacatua”, em tradução livre), mas alguns também foram ouvidos ao dizerem palavrões.

Fonte: BBC Brasil

Como ser saudável neste mundo?

Publicado: 29/08/2011 por Andrew em Atualidades, Meio Ambiente

:: Por Ariel Prudêncio de Souza ::

Alguém notou a quantidade de propaganda de umidificadores?

Se não notou, com certeza percebeu a dificuldade em respirar e o aumento da poeira escura sobre os objetos e móveis.

Você sabe o que tem naquela poeira escura? Sabe o motivo de a temperatura estar cada vez mais alta?

Um dos componentes dos combustíveis é o enxofre. No Brasil, a falta de informação faz com que não questionemos e aceitemos tudo do jeito que querem, vendendo-nos produtos de baixa qualidade.

Lembremos que enxofre em contato com a água, por exemplo, transforma-se em ácido sulfúrico. Agora imagine o enxofre e outros componentes químicos sendo jogados no solo e na água. Água essa que bebemos e utilizamos no dia-a-dia, para inclusive lavar alimentos.

No verão com a chuva, o ar acaba sendo limpo, porém, todos os componentes químicos nos banham, inclusive vão para o lençol freático.

Nas sacolas plásticas, se não em todas, mas em boa parte, há chumbo. Então, imagine isso contaminando nosso meio ambiente.

Lembram dos problemas que o garimpeiro tem por conta do mercúrio? O Chumbo se acumula da mesma forma no organismo. Uma informação de utilidade publica é sobre a contaminação da água. O Organismo humano produz um hormônio chamado estradiol, em quantidade ínfima, mas em excesso pode causar câncer de mama ou câncer de próstata.

O problema é que estamos constantemente ingerindo água, que contém estrógenos, lançados nos esgotos (que vão para os rios) através da urina das mulheres que usam anticoncepcionais. Lembre-se que o processo utilizado para tratar a água visa filtrar, controlar o pH e eliminar microrganismos indesejáveis, mas não contempla a detecção nem a eliminação de hormônios. Devido a isso as meninas menstruam cada vez mais cedo.

E a temperatura é devido ao aquecimento global? Não necessariamente. O que temos são ilhas de calor, causadas principalmente pelo desmatamento.

Faça um teste: vá até uma área em um local bem arborizado, note que a temperatura é bem mais agradável, logo não é exatamente o planeta que está esquentando e sim sua rua, seu quarteirão, seu bairro. Não é mais inteligente e econômico plantar árvores do que comprar ar condicionado? Lembre-se que donos de empresas de ar condicionado e empreiteiros moram em bairros de luxo muito bem arborizados.

Vejam, é tudo questão de planejamento, paisagismo e educação, afinal, por mais que nosso município esteja passando por um momento de limpeza ética na política, não podemos nos esquecer que estamos em franco desenvolvimento, mas não podemos crescer financeiramente e o dinheiro ser usado no tratamento de doenças. Muito menos achar que as doenças são normais. Na verdade são comuns, não normais e sem dúvida devido ao sistema de consumo infinito num planeta de recursos finitos.

Meio ambiente não é um assunto da moda. É tema de suma importância para a espécie humana. O mundo não vai acabar quem pode desaparecer somos nós.

Vivemos em um sistema solar com mais sete planetas, sem a menor chance de serem habitados, exceto a Terra, obviamente. A nossa galáxia, a Via Láctea, conta com 200 bilhões de estrelas, algumas dessas com seus próprios sistemas solares. O comprimento da Via Láctea é de cerca de 100 mil anos-luz, uma distância impeditiva pelos nossos recursos e tecnologia, o que nos impede de mudarmos para outro planeta.

Nosso planeta é uma jóia raríssima e nossa espécie extremamente frágil. Numa pequena variação de dois graus acima ou abaixo já sentimos muito frio ou muito calor. Falta muita educação e não educação acadêmica e sim educação de berço. Ainda há pessoas que jogam lixo e entulho nas ruas de nossa cidade.

Os empresários exploram financeiramente, mas não trazem nenhum benefício para a região em que atuam. No meio político ainda há aqueles que acham que somos tolos e os poucos bem intencionados se vêem obrigados a entrarem no jogo por conta de não ter apoio de nós mesmos.

Sou cristão e vejo também omissão por nossa parte, afinal Deus nos dotou de inteligência para administramos bem tanto nossa vida quanto nosso belíssimo mundo. E cuidado com os oportunistas que se valem do meio religioso para tirarem proveito político. Vamos ser pacíficos, mas não omissos, afinal o poder é nosso.  Ter consciência de nosso papel no mundo e, também, todas as outras questões serão equilibradas.

:: Ariel Prudêncio de Souza é consultor de TI e de Segurança da Informação, astrônomo amador e membro do grupo de observações avançadas do Clube de Astronomia de São Paulo.

Cai uma chuvinha rápida e rala, típica de um final de tarde de verão, com o Sol quase se pondo. Embora não se possa ver o Sol, em alguns casos pode-se ver um Arco-íris. Espetáculo gratuito.  Também chamado arco-celeste, arco-da-aliança, arco-da-chuva, arco-da-velha, o arco-íris não existe realmente como em um local do céu, mas é uma ilusão de óptica cuja posição aparente depende da posição do observador.

É um fenômeno óptico e meteorológico que separa a luz do sol em seu espectro (aproximadamente) contínuo quando o sol brilha sobre gotas de chuva. É um arco multicolorido com o vermelho no seu exterior e o violeta em seu interior; a ordem completa é vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil (ou indigo) e violeta. Ver também o artigo sobre as cores para informações sobre o espectro de cores do arco-íris. Para isso acontecer o Sol deve estar às nossas costas (não mais que 42 graus acima do horizonte), e na frente ter uma “cortina” de gotículas de água na atmosfera, que farão o papel de elementos dispersores para formar os diversos arcos concêntricos nas cores que vão do vermelho ao violeta.

Simbologia
Cristianismo, islamismo e judaísmo dizem que o arco-íris foi intitulado por Deus “arco-da-aliança”, pois logo após o Dilúvio quando a Arca de Noé pousou sobre o Monte Ararat Deus prometeu que nunca mais iria inundar a Terra e depois de cada chuva seu arco apareceria nas nuvens e este seria o símbolo da aliança estabelecida entre Deus e toda carne vivente de toda espécie que está sobre a terra e por todas as gerações futuras.

Arco-íris noturno

Embora muitos acreditem que o fenômeno do arco-íris só aconteça com o luz do Sol, na verdade também pode acontecer à noite.  A natureza é cheia de surpresas belas e agradáveis e a prova disso é a matéria a seguir sobre arco-íris lunar ou moonbow, em inglês. Os arco-íris noturnos são formados tendo a lua como fonte de luz. No arco-íris noturno a Lua deve estar às suas costas, fazendo o papel de fonte de luz. Para a formação do arco-íris noturno é necessária a combinação de céu bastante escuro, Lua a menos de 42 graus em relação ao horizonte e chuva caindo em frente ao satélite natural da Terra. O resto é igual. Em alguns casos pode acontecer um arco secundário, fruto de mais de uma reflexão dentro da gota d’água.

Como a  luz da Lua é bem mais fraca que a luz direta do Sol, um arco-íris noturno pode parecer para os nossos olhos apenas como um arco de tênue luz branca no céu. Neste caso, há tão pouca luz que os nossos olhos não conseguem perceber detalhes das diferentes cores. Mas uma foto de longa exposição consegue capturar as diferentes cores separadas por refração nas gotículas de água revelando-nos o arco-íris noturno.

São em poucos lugares do mundo que o arco-íris lunar se materializa. Os melhores lugares são nas Cataratas Vitória que fica entre a Zâmbia e Zimbabwe, Cataratas Cumberland em Kentucky, Cataratas Yosemite na Califórnia, e em Waimea no Havaí.

Fonte: Física na Veia, Hype Science e Wikipédia

Apague a luz na hora do planeta

Publicado: 25/03/2011 por Elisa em Atualidades, Meio Ambiente

No próximo sábado, dia 26, das 20h30 às 21h30 acontece a Hora do Planeta, um movimento global da Rede WWF sobre mudanças climáticas, destinada a promover atos simbólicos no mundo todo, nos quais governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos.

Hora do Planeta no Brasil – Até o momento, 59 cidades, incluindo 11 capitais, formalizaram a adesão à Hora do Planeta 2011. Outras 29 prefeituras encontram-se já na fase final de entrega do documento, que traz a indicação de quais monumentos serão apagados. As 11 capitais que aderiram são Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Natal (RN), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Vitória (ES).

Hora do Planeta no mundo – Em 2010, mais de um bilhão de pessoas em 4616 cidades, em 128 países, apagaram as luzes durante a Hora do Planeta. Em 2011, 13 novos países aderiram à Hora do Planeta. São eles: Jamaica, Uganda, Swaziland, Iran, Tajikistan, Chad, Azerbaijan, Gibraltar, Palestine, Suriname, Uzbekistan, Trinidad & Tobago e Lesotho. Já são cerca de 3.800 cidades, em 131 países, sendo 25 megacidades, entre as quais, Délhi, Mumbai, Buenos Aires, Moscou, Teerã, Istambul, Londres, São Paulo e Rio de Janeiro. Os sete continentes e todos os países que compõem o G-20 também estão representados.

22º Pedal Verde

Publicado: 23/02/2011 por Andrew em Atualidades, Meio Ambiente, Viagens & Passeios