Arquivo da categoria ‘Esportes Radicais & Semi’

Copa do Mundo

Publicado: 15/06/2010 por Andrew em Atualidades, Esportes Radicais & Semi
Tags:,

Nestes dias de Copa do Mundo, os brasileiros quase param acompanhando os jogos. Mas, da onde vem esse entusiasmo todo e como surgiu a Copa do Mundo?

A Copa do Mundo (português brasileiro) ou Campeonato do Mundo de Futebol / Mundial (português europeu) é um torneio de futebol masculino realizado a cada quatro anos pela FIFA (Federation International Football Association), em que diversos países do mundo se reúnem para disputar partidas de futebol e mostrar quem é o melhor do mundo naquele período.  A Copa do Mundo é o segundo maior evento desportivo do mundo, ficando atrás apenas dos Jogos Olímpicos de Verão. Desde a Copa do Mundo de 1998 é realizada com 32 equipes participantes.

O primeiro amistoso internacional de futebol foi jogado em 1872, entre a Inglaterra e Escócia, num momento em que o esporte era raramente praticado fora da Grã-Bretanha. No final do século XIX o futebol começou a ganhar mais adeptos, e por isso se tornou um esporte de demonstração (sem disputa de medalhas) nos Jogos Olímpicos de Verão de 1900, 1904 e 1906, até se tornar uma competição oficial nos Jogos Olímpicos de Verão de 1908. Esse torneio, organizado pela Football Association, consistia em um evento para jogadores amadores, e na época não foi considerado uma real competição, mas sim um mero espetáculo. A seleção amadora da Inglaterra foi a campeã nas duas edições, 1908 e 1912.

Em 1914, a FIFA reconheceu o torneio olímpico como uma “competição global de futebol amador”, tomando para si a responsabilidade em organizá-lo. Com isso, nas Olimpíadas de 1924, houve a primeira disputa de futebol intercontinental, na qual o Uruguai consagrou-se campeão, feito repetido na Olimpíada seguinte. Além destas conquistas, o apelido com que a seleção uruguaia é conhecida até hoje – “Celeste olímpica”. Em 28 de Maio de 1928, a FIFA decidiu pela criação de um próprio campeonato mundial, iniciando a partir de 1930. Na seqüência das comemorações do centenário da independência do Uruguai, em 1928, aliada às conquistas olímpicas do futebol daquele país, decidiu-se que a sede da competição seria no país sul-americano.
A primeira Copa do Mundo oficial
A competição foi criada pelo francês Jules Rimet, em 1928, após ter assumido o comando da FIFA. A primeira edição da Copa do Mundo foi realizada no Uruguai em 1930.
Nesse primeiro mundial, não havia torneio eliminatório. Contou com a participação treze seleções, sete da América do Sul (Uruguai, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Peru), quatro da Europa (Bélgica, França, Iugoslávia e Roménia) e duas da América do Norte (México e EUA). Muitas seleções européias desistiram da competição devido à longa e cansativa viagem pelo Oceano Atlântico. A seleção uruguaia sagrou-se campeã e pôde ficar, por quatro anos, com a taça Jules Rimet.
Nas duas copas seguintes (1934 e 1938) a Itália ficou com o título. Nos anos de 1942 e 1946, a Copa não ocorreu devido à Segunda Guerra Mundial.
Em 1950, o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram entusiasmados e confiantes no título. Com uma ótima equipe, o Brasil chegou à final contra o Uruguai. A final, realizada no recém construído Maracanã (Rio de Janeiro – RJ) teve a presença de aproximadamente 200 mil espectadores. Um simples empate daria o título ao Brasil, porém a celeste olímpica uruguaia conseguiu o que parecia impossível: venceu o Brasil por 2 a 1 e tornou-se campeã. O Maracanã se calou e o choro tomou conta do país do futebol.
O Brasil sentiria o gosto de erguer a taça pela primeira vez em 1958, na copa disputada na Suécia. Neste ano, apareceu para o mundo, jogando pela seleção brasileira, aquele que seria considerado o melhor jogador de futebol de todos os tempos: Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.
Quatro anos após a conquista na Suécia, o Brasil voltou a provar o gostinho do título. Em 1962, no Chile, a seleção brasileira conquistou pela segunda vez a taça. Em 1970, no México, com uma equipe formada por excelentes jogadores ( Pelé, Tostão, Rivelino, Carlos Alberto Torres entre outros), o Brasil tornou-se pela terceira vez campeão do mundo ao vencer a Itália por 4 a 1. Ao tornar-se tricampeão, o Brasil ganhou o direito de ficar em definitivo com a posse da taça Jules Rimet.
Após o título de 1970, o Brasil entrou num jejum de 24 anos sem título. A conquista voltou a ocorrer em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos. Liderada pelo artilheiro Romário, nossa seleção venceu a Itália numa emocionante disputa por pênaltis. Quatro anos depois, o Brasil chegaria novamente a final, porém perderia o título para o pais anfitrião: a França.
Em 2002, na Copa do Mundo do Japão / Coréia do Sul, liderada pelo goleador Ronaldo, o Brasil sagrou-se pentacampeão ao derrotar a seleção da Alemanha por 2 a 0.
Em 2006, foi realizada a Copa do Mundo da Alemanha. A competição retornou para os gramados da Europa. O evento foi muito disputado e repleto de emoções, como sempre foi. A Itália sagrou-se campeã ao derrotar, na final, a França pelo placar de 5 a 3 nos pênaltis. No tempo normal, o jogo terminou empatado em 1 a 1.
Este ano, 2010, pela primeira vez na história, a Copa do Mundo será realizada no continente africano, na África do Sul.
 
Curiosidades:
  • Em 2014, a Copa do Mundo será realizada no Brasil. O evento retornará ao território brasileiro após 64 anos, pois foi em 1950 que ocorreu a última copa no Brasil.
  • O recorde de gols em Copas é do francês Fontaine com 13 gols;
  • O Brasil é o único país que participou de todas as Copas do Mundo;
  • O Brasil é o país com mais títulos conquistados: total de cinco;
  • A Itália foi quatro vezes campeã mundial. A Alemanha foi três vezes, seguida das bi-campeãs Argentina e Uruguai. Inglaterra e França possuem apenas um título cada;
  • A Copa do Mundo é o segundo maior evento esportivo do planeta;
  • As Copas do Mundo da França (1998) e Japão / Coréia do Sul (2002) foram as únicas que tiveram a participação de 32 seleções. A Copa do Mundo da Alemanha 2006 teve o mesmo número de seleções participantes.
  • A Copa do Mundo de 1950 foi a primeira a ter participantes britânicos. Eles tinham se retirado da FIFA em 1920, por se recusarem a jogar com países que tinham guerreado recentemente e por um protesto da influência estrangeira no futebol, já que o esporte era uma “invenção” britânica e esses países consideravam que o mesmo tinha sido deturpado pelo modo de jogar estrangeiro.[4] Contudo, eles voltariam a ser membros da FIFA em 1946. O torneio também teve a volta da participação do Uruguai, que tinha boicotado as duas edições anteriores.

Os campeões de todos os tempos
Uruguai (1930) / Itália (1934) / Itália (1938) / Uruguai (1950) / Alemanha (1954) / Brasil (1958) / Brasil ( 1962) / Inglaterra ( 1966) / Brasil (1970) / Alemanha (1974) / Argentina (1978) / Itália (1982) / Argentina (1986) / Alemanha (1990) / Brasil (1994) / França (1998) / Brasil (2002), Itália (2006).

O Brasil é o país que alcançou mais títulos mundiais – cinco (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002) – e o único pais que ganhou fora de seu continente. É também o único país a ter participado de todos os Campeonatos. Segue-se a seleção da Itália, tetracampeã (1934, 1938, 1982 e 2006); a Alemanha, tricampeã (1954, 1974 e 1990); os bicampeões Argentina (vencedora em 1978 e 1986) e Uruguai (vencedor em 1930 e em 1950); e, por fim, com um único título, as seleções da Inglaterra, campeã em 1966, e da França, campeã em 1998.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre e Sua Pesquisa

Anúncios

A Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA), em conjunto com o Programa de Promoção e Comercialização Nacional, divulgou os dados de uma pesquisa realizada para saber qual é o perfil do turista de aventura no Brasil.  O levantamento foi feito com pessoas entre 18 e 59 anos de idade, que viajaram no Brasil nos últimos 12 meses, que pagam ou pagariam por uma viagem de turismo de aventura ou ecoturismo, residentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, entre outras amostras.

A pesquisa revelou que muitos brasileiros procuram as viagens voltadas para o contato com a natureza, seja para diversão ou prática de atividades. No último ano, a média nacional de viagem dentro do Brasil foi de 5,3 vezes; e de acordo com a classe social, o número de passeios aumenta. Dentre os pesquisados, os mineiros são os mais viajantes, com 5,47 vezes ao longo de doze meses, seguidos dos paulistas com 5,14.

Das 904 pessoas que responderam às perguntas, 32% preferem a região Nordeste do Brasil para viagens de natureza e aventura, seguido de perto, com 25%, pelos que optaram pela região Sudeste. A região Centro-Oeste ficou com 13% e Norte e Sul do país com 9% cada. A busca em cada região, ou pelo menos o que os pesquisados mais valorizam na busca pelo seu destino são cachoeiras, rios e mares, com a preferência de 46%.

As atividades
Das 24 atividades apresentadas, o bugue e a cavalgada lideram a pesquisa das atrações já praticadas, com 36% cada. Em seguida, aparece a caminhada (31%), tirolesa (27%), observação da vida selvagem (22%), mergulho (21%) e canoagem (20%).  E a avaliação feita pelos turistas foi positiva: nenhuma das atrações teve nota média abaixo de 7,5. Entre as mais pontuadas, ficaram o mergulho e o rafting, com 9,07 e 9,06 respectivamente; e o bungee jump, com 8,98 da média.

Ainda em busca de opções, 70% desejam praticas mergulho e andar de bugue, 61% realizar a observação da vida selvagem, andar de quadriciclo e veículos 4×4 e voar de balão.

Dentre os analisados na pesquisa, os clientes atuais, que estão abertos a qualquer aventura, são a maioria, ocupando 68% da análise. Os clientes convictos, que já estão no mercado e que já praticaram mais de 10 atividades de aventura são a menor faixa, com 4%. Os que nunca praticaram, mas tem intenções de realizar algum esporte totalizam 28%.

Fonte: Webventure

Durante a prática de exercícios físicos existe uma eliminação considerável de líquidos através do aumento da sudorese (transpiração).Como devemos repor os líquidos durante uma sessão de exercícios físicos?

Devemos ingerir líquidos antes, durante e após o exercício físico. Para garantir que o indivíduo inicie o exercício bem hidratado, recomenda-se que ele beba cerca de 250 a 500ml de água duas horas antes do exercício.

Durante o exercício físico recomenda-se iniciar a ingestão já nos primeiros 15 minutos e continuar bebendo a cada 15 a 20 minutos. O volume a ser ingerido varia conforme as taxas de  transpiração, na faixa de 500 a 2.000ml/hora. Se a atividade durar mais de uma hora, ou se for intensa do tipo intermitente mesmo com menos de uma hora, devemos repor carboidrato na quantidade de 30 a 60 gramas por hora e sódio na quantidade de 0,5 gramas por litro (exemplo: duas garrafas pet de 500ml de uma bebida esportiva*).

A bebida deve estar numa temperatura em torno de 15 a 22 graus celsius e apresentar um sabor de acordo com a preferência do indivíduo. Após o exercício físico, deve-se continuar ingerindo água para compensar as perdas adicionais de água pela urina e sudorese.

Deve-se aproveitar para ingerir carboidratos, em média de 50g de glicose (através de um alimento rico em hidrato de carbono, como duas ou três barras de cereais Nutry “coco clássico” ), nas primeiras duas horas após o exercício para que se promova a ressíntese do glicogênio muscular (depósito natural de energia nos músculos) e o rápido armazenamento deste glicogênio nos músculos e no fígado.

*Duas garrafas Pet de Gatorate 500ml (total de 1000ml) = 240 kcal – 60 gramas de carboidratos – 0,5 gramas de sódio.

Fonte: Revista Brasileira Medicina do Esporte

Mais do que um brinquedo de criança, as bicicletas conquistaram seu espaço na prática de exercícios. Além de manter a forma, ela é responsável pela liberação da serotonina, substância que melhora o humor e espanta o cansaço. Uma pesquisa feita pelo metro registrou de 345 mil passageiros vão com suas bicicletas para todos os lugares.

A bicicleta (também chamada de bike, no Brasil) é um veículo com duas rodas presas a um quadro, movido pelo esforço do próprio usuário (ciclista) através de pedais. Foi inventada no século XIX na Europa. Com cerca de um bilhão de unidades em todo o mundo, a bicicleta é usada tanto como meio de transporte no ciclismo utilitário, como objeto de lazer no cicloturismo e para competições desportivas de ciclismo.

A bicicleta afetou consideravelmente a história tanto no campo industrial como no cultural. No início, a bicicleta inspirou-se em tecnologias pré-existentes. Hoje, no entanto, tem contribuído para outras áreas. Além de lazer e transporte, as bicicletas estão sendo adaptadas para outras utilizações, na área militar e em esportes.

A bicicleta também é bastante utilizada como meio de transporte no dia-a-dia, por ser um transporte barato, ecológico e saudável.

Atualmente, segundo dados da Abraciclo (Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), o Brasil é o 3º maior fabricante de bicicletas do mundo, com 5,5 milhões de unidades produzidas em 2007, atrás a penas da China e da Índia, países que concentram 76% da produção mundial. Além disso, o Brasil foi em 2007 o 5º maior mercado consumidor de bicicletas do mundo, e possuía nesse mesmo ano uma frota de 65 milhões de bicicletas nas ruas.

Especialistas orientam que antes de comprar uma bike é necessário:

  • fazer o teste drive;
  • verificar se a altura é ideal, que permite que as pontas dos dedos toquem o chão.
  • optar por um modelo apropriado ao seu estilo de vida e as suas necessidades

O Brasil não possui uma grande tradição ciclística, principalmente no que se refere ao uso da bicicleta como meio de transporte. Vista como um instrumento de esporte ou lazer, o modelo de bicicleta que acabou se popularizando por aqui foi a Mountain Bike, que até hoje reina absoluta, ideal para andar na terra e em terrenos irregulares (como as nossas ruas esburacadas). Porém, como qualquer pessoa que pedala todo dia pode comprovar, Mountain Bikes definitivamente não são a melhor opção para se locomover nas grandes cidades: guidão baixo, pneu inadequado, falta de pára-lamas e suspensão, etc.

Inúmeras pessoas se encontram para pedalar à noite. Esses treinos em grupo são bons porque as ruas estão mais vazias, tranqüilas e seguras.

Algumas dicas para quem quer pedalar com segurança:

  • Ande sempre a direita da via, a um metro da calçada e com roupas que permitam que fique visível para os motoristas de carros e motos, e também para pedestres.
  • Para ultrapassar, faça sempre em sua faixa e com muita cautela.
  • Mude de faixa só em situações de congestionamentos, mantendo-se à direita da próxima faixa e volte às bordas da pista assim que possível.
  • Evite ruas e estradas com grande fluxo de veículos pesados (caminhões e ônibus).
  • Seja gentil. Agradeça após pedir passagem e sinalize conversões.
  • Ande sempre na mão. O Código Nacional de Trânsito reconhece a bicicleta como veículo, devendo então andar sempre no fluxo do trânsito.
  • Se for entrar à esquerda, busque sempre a melhor forma. Se necessário vá até a calçada e atravesse como pedestre, empurrando a bike.
  • Nas ruas, respeite sempre a velocidade dos carros, no máximo 40 km/h. Nas avenidas, procure pedalar o mais rápido possível. Ao transitar pelas calçadas, aja como pedestre: com cuidado e empurrando a bicicleta.

Fonte: Cleber Ricci, autor do guia Bike na rua e Wikipédia

091108Damha2Neste domingo, 8 de novembro, a partir das 9 horas, será realizada a 1ª Corrida de Rua e Caminhada Damha em São José do Rio Preto. O objetivo é promover a saúde e incentivar a prática esportiva para melhorar a qualidade de vida. São esperados 1000 participantes.

A prova é de 8 quilômetros para os corredores e de 4 quilômetros para os caminhantes. A premiação dos dez primeiros colocados, classificação masculino e feminino, será de R$ 300 a R$ 50 em dinheiro. Receberão troféus os três primeiros colocados de cada categoria e as três melhores e maiores equipes. Haverá sorteio de brindes e todos os competidores receberão camiseta personalizada e medalha de participação.

As inscrições podem ser feitas na Metabolic Sports do Plaza Avenida Shopping ou pelo site: http://www.runnerbrasil.com.br. O valor das inscrições é de R$ 30 para a corrida e R$ 20 para a caminhada, e mais um quilo de alimento não perecível, que será doado para o Fundo Social de Rio Preto.

fotoasfComeça nesta quinta-feira, dia 10 de setembro, a 11ª edição da Adventure Sports Fair, maior feira de esportes e turismo de aventura do Hemisfério Sul.

A feira será realizada até o dia 13 no Centro de Exposições Imigrantes e trará muitas novidades em lazer, turismo e esportes de aventura que serão apresentadas entre os expositores, além de muita interação com o público.

Divulgação

Fotos: Divulgação

Entre as atrações estão os blocos de gelo trazidos da patagônia argentina para que os participantes possam fazer trekking com um calçado especial e viver esta experiência única em um ambiente climatizado. Outros destaques são um tanque para mergulho com 30 mil litros de água, pistas para test drives de veículos 4 x 2 da FIAT e de mountain bike, uma piscina para test drive de caiaques e uma pista de esqui.

Para as crianças haverá uma área kids de 200 metros quadrados onde os pequenos podem brincar e ainda aprender importantes conceitos como sustentabilidade, reciclagem de lixo e preservação ambiental.

Será possível também conhecer destinos e pacotes turísticos para todo Brasil e América do Sul, com destaque para hotéis e cruzeiros da Patagônia Argentina.

Além de verificar e comprar os lançamentos entre equipamentos e acessórios para a prática de esportes e turismo de aventura.

Serviço Adventure Sports Fair | De 10 a 13 de setembro de 2009 | Centro de Exposições Imigrantes | Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo |Ingresso: R$ 20 | De quinta e sexta, das 14h às 22h. Sábado, das 12h às 22h. Domingo, das 12h às 20h.

Dados divulgados pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) mostraram que os hipertensos que praticam exercícios físicos conseguem reduzir seus gastos com saúde em até 36%. O grupo pesquisado, que fazia algum tipo de exercício três vezes por semana, duas horas por dia, economizava:

  • 25% em remédios, porque a atividade física ajuda a controlar a pressão;
  • 28% em consultas, pois com a pressão controlada não tinham necessidade de ir tantas vezes ao médico;
  • 45% em exames, feitos com menos freqüência.

Fonte: Revista Veja