Arquivo da categoria ‘Educação’

18439Na capital paulista, em 2008, falar ao celular na direção foi o quarto tipo de infração mais comum e o segundo que mais cresceu. Foram 373.455 infrações e um aumento de 47,48%. A primeira foi ultrapassar no sinal vermelho. Atualmente tal infração representa 4 pontos na CNH e uma multa de R$ 85,13. Mas, se depender do governo federal, o motorista pego falando ao celular perderá 7 pontos (falta gravíssima) e terá que desembolsar RS 315. A proposta está sendo avaliada pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara.

Especialistas da área estão divididos. O presidente do Centro de Psicologia Aplicada no Trânsito, Salomão Rabinovich acredita que a penalidade mais dura é necessária. “Qualquer dispositivo no volante tira a atenção, isso é comprovado desde os tempos do walkman”.

O consultor e ex-secretário municipal de Transportes de  São Paulo, Getúlio Hanashiro, acha a medida exagerada. “Eu colocaria como gravíssimo infrações que podem causar sérios danos a terceiros, como excesso de velocidade”, diz.

Pesquisa mostra os riscos

5574_1221845177Uma pesquisa realizada no Reino Unido, patrocinada pela seguradora britânica Direct Line, reuniu 20 voluntários que fizeram testes em carros simuladores. Os resultados demonstraram que aqueles que usam telefone ao volante estão mais sujeitos a acidentes do que os que bebem antes de dirigir, dependendo o nível alcoólico. A reação de quem usa celular é 50% mais lenta do que um motorista atendo e 30% mais lenta do que quem bebeu.

Um estudo elaborado em Utah, Estados Unidos confirmou esses dados. Os motoristas ao celular têm 5,36 vezes mais chance de se envolver em um acidente do que um atento. Falar ao celular, mesmo em equipamentos que dispensem o uso das mãos também é perigoso, pois a atenção fica dividida. “Falar ao telefone com um kit handsfree’ na direção multiplica por quatro o risco de acidentes”, resumiu David Strayer, professor de psicologia da universidade, que realizou um estudo medindo a atividade cerebral.

Segundo o cientista, o cérebro trata das informações sobre o trânsito e a direção só com 50% de sua capacidade quando a pessoa está falando ao telefone. Dezesseis casais foram convidados a pegar o volante de um simulador automotivo em uma estrada, enquanto conversavam pelo telefone. Eletrodos mediram a atividade cerebral e os movimentos dos olhos, explicou o cientista

Outras mudanças

Outras alterações previstas são o majoração dos valores das multas; os motoristas de ônibus e caminhões não poderão dirigir mais que quatro horas seguidas;  os motociclistas não poderão ultrapassar entre veículos adjacentes, ou entre a calçada e os veículos, exceto se o trânsito estiver parado; em caso de suspensão do direito de dirigir, a CNH deverá ser devolvida ao motorista após cumprida a penalidade;  se a velocidade for acima de 50 km/h do permitido por duas vezes em um ano, o motorista deverá prestar serviços comunitários entre 6 meses a dois anos; a multa penal por condenação no trânsitos será calculada com base no valor do veículo envolvido.

Fonte: Expansão São Paulo e O Estado de S. Paulo

Anúncios

ebookA USP lançou um site que disponibiliza 3.000 livros para download.

Ao entrar no http://www.brasiliana.usp.br o internauta encontra livros raros, documentos históricos, manuscritos e imagens que são parte do acervo da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, doada à universidade.

Há planos de aumentar o catálogo para 25 mil títulos e incluir primeiras edições de Machado de Assis e de Hans Staden.

Outros Sites que disponibilizam e-books:

O “Portal Domínio Público“, lançado em novembro de 2004, disponibiliza imagem, sons, textos e vídeos nas mais diversas categorias e autores variados. Lá é possível encontrar a obra completa de Machado de Assis, poesias de Fernando Pessoa, obras de Joaquim Nabuco, A Divina Comédia (em português), Shakespeare (em português) entre outros.

Outro site interessante é o eBookCult, onde se pode fazer download de vários títulos nas áreas de Arte, Artesanatos e Hobbies, Atualidades, Auto-Ajuda, Biografia, Casa e Lar, Ciência, Ciência Política, Ciências Sociais, Comunicação, Direito, Educação, Esportes e Lazer, Ficção, Filosofia, História, Humor, Informática, Jogos, Literatura, Livros Didáticos, Livros Raros, Línguas Estrangeiras, Medicina, Música, Negócios e Economia, Poesia, Psicologia e Psiquiatria, Relacionamentos e Família, Religião – Crenças, Saúde e Beleza, entre outros.

O Brasil tem um triste recorde mundial: é o quinto maior em número de mortes no trânsito. Organização Mundial da Saúde (OMS), que apresenta esta semana o maior estudo sobre o assunto, alerta  que só em 2007  dos 178 países analisados, aconteceram 35,1 mil mortes causadas por desastres com automóveis no Brasil. Os números só são inferiores a Índia, onde ocorreram 105,7 mil, China (96,6 mil), Estados Unidos (42,6 mil) e Rússia (35,9 mil).

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a violência no trânsito no Brasil é a segunda maior causa das mortes entre jovens, só perdendo para os homicídios. 

As mortes, de acordo com pesquisa, se concentraram em homens adultos jovens (com idade entre 20 e 59 anos), residentes em municípios de pequeno porte populacional. No caso de atropelamentos, o risco de morte é maior entre os idosos; para ocupantes de veículos, o risco é maior para o grupo de 20 a 59 anos. Entre os motociclistas, o risco concentra-se na faixa de 20 a 29 anos e o número de mortes de motociclistas aumentou cerca de 20 vezes em 16 anos. Em 1990, haviam sido contabilizados 300 mortes provocadas por acidentes de moto. Em 2006, o número saltou para quase 7 mil.

Atualmente, os acidentes nas estradas são a décima maior causa de mortes no mundo. Segundo a OMS informa que esses desastres matam 1,2 milhão de pessoas por ano. Quase metade das vítimas não estava de carro – foram 584 mil pedestres e ciclistas mortos em acidentes, representando 46% do total das mortes. No Sudeste Asiático, esse índice é ainda mais alarmante: 80% das mortes no trânsito envolveram pessoas que sequer têm carro.

Os dados também indicam que, nos países ricos, a taxa de mortes está estável. Mas, nos países em desenvolvimento contua crescendo, o que preocupa os especialistas no assunto. Segundo eles, a melhoria da renda provoca o crescimento do número de veículos no trânsito, o que não quer dizer necessariamente o aumento os dispositivos de segurança.

A OMS verificou também que apenas 15% dos 178 países avaliados têm uma legislação completa em relação ao trânsito, incluindo limites alcoólicos, limites de velocidade dentro de cidades e obrigatoriedade no uso de capacetes. Mas, mesmo nos países onde existem as leis, o cumprimento é falho.  No ritmo em que está, a OMS, prevê que se for mantido os números dos últimos 10 anos, haverá 2,4 milhões de mortes em 2030, o dobro do índice atual.

Números

Mortes envolvendo automóveis —-> 1,2 milhão de pessoas ao ano

Previsão de mortes em 2030 ——–> 2,4 milhões de mortes

Fonte: O Estado de S. Paulo e Correio Braziliense

:: Iracema Sodré ::

O mercado editorial está no centro das discussões sobre quem ganha e quem perde com o acordo ortográfico da língua portuguesa. Enquanto alguns avaliaram que as editoras serão as principais beneficiadas com a reforma, empresas do setor, tanto no Brasil como em Portugal, inicialmente se opuseram às mudanças na escrita.

O presidente da União dos Editores Portugueses, Carlos da Veiga Ferreira, chegou a dizer a certa altura que havia a chance de várias empresas “boicotarem” o acordo em Portugal, por acreditarem que as editoras brasileiras, especialmente no setor de livros didáticos, ganhariam espaço na África, mercado hoje dominado pelos portugueses.

Com o avanço das discussões sobre a adoção do acordo ortográfico, os editores portugueses passaram a aceitar melhor a ideia, mas ainda esperam que haja um apoio governamental substancial para o financiamento da adaptação dos livros. A preocupação é compartilhada pelas editoras no Brasil.

“Há um custo grande na alteração de todos os livros existentes nos catálogos das editoras, já que os fotolitos desses livros terão de ser descartados, será necessário fazer uma revisão e novos materiais terão de ser impressos”, disse Sonia Machado, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livro do Brasil (SNEL), à BBC Brasil. “A preocupação que os associados do sindicato têm é: quem vai pagar essa conta? Quem vai absorver esse custo da adaptação dos livros antigos para a nova ortografia, sem que isso seja refletido nos preços?”

Sonia Machado afirma que muitos editores não terão condições financeiras de fazer as mudanças e que alguns livros podem não ser atualizados, já que a opção de repassar os custos para o consumidor não seria uma boa estratégia em tempos de crise.

Novos mercados
A presidente do SNEL também rejeita a ideia de que as portas para outros mercados serão abertas com a reforma ortográfica, já que hoje os contratos de edição são territoriais.

“Quando se compra o direito de publicação, o direito não é para publicar em língua portuguesa, mas para publicar em determinado país”, afirma Sonia Machado. “Isso é válido não só para o português. Na língua inglesa, por exemplo, você tem a edição americana, a edição inglesa, edição australiana.”

O escritor angolano José Eduardo Agualusa diz, no entanto, que, com o acordo ortográfico, as empresas podem passar a negociar contratos de publicação em mais de um país e alcançar mercados mais amplos. Mas, na opinião dele, quem mais ganharia com as mudanças na ortografia seriam as editoras portuguesas.

“O grande mercado do livro de língua portuguesa não é evidentemente a África, é o Brasil. As grandes editoras portuguesas já perceberam isso”, afirma o escritor. “O mercado africano para o Brasil é uma coisa absolutamente ridícula, porque o Brasil tem cem Áfricas dentro dele, em crescimento contínuo.”

A única exceção poderia ser mesmo o setor dos livros didáticos, que é um mercado em expansão em países de língua portuguesa como Angola e Moçambique. Algumas grandes editoras brasileiras já estariam estudando um investimento na África.

Outro setor que pode sair lucrando com o acordo ortográfico é o de dicionários e livros de referência sobre as mudanças na escrita. Mesmo em Portugal, onde as alterações ainda não estão em vigor, já foram lançadas várias obras de referência de acordo com as novas regras.

Fonte: BBC Brasil.com

1131727-9349-atm17Uma tumba de mais de 3.200 anos foi encontrada por arqueólogos na cidade egípcia de Saqqara, 40 quilômetros ao sul do Cairo, anunciou nesta terça (3/3) o Conselho Superior de Antiguidades do Egito.

O sarcófago seria da nobre Ísis, filha do do príncipe Setna Kha-em-ust, e neta de Ramsés 2º, e foi esculpido em pedras.

Setna Kha-em-ust foi filho de Ramsés 2º, um dos mais influentes faraós. Ísis, sua neta, cujo sarcófago foi achado pelos pesquisadores durante trabalhos de escavação, era uma jovem conhecida pela beleza e apuro visual.

A nobre ficou conhecida na história das dinastias faraônicas pelo seu senso estético exigente e inovador, pela adoração às jóias que usava e pelas vestimentas diferentes que criava.

O túmulo onde estaria enterrada a nobre foi encontrado em pedaços e seria da 19ª dinastia egípcia. Há mais ou menos 150 anos, arqueólogos fazem escavações na região de Saqqara em busca de material arqueológico.

No local, já foram encontradas pirâmides destruídas, tumbas de reinados antigos e outras mais recentes, da era romana.

Fonte: Bol Notícias

As aulas serão ministradas no Ipiranga e em Diadema.

As aulas serão ministradas no Ipiranga e em Diadema.

O Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural acaba de abrir as inscrições para as aulas de Taekwondo e Karatê, modalidades esportivas de arte marcial que funcionarão como instrumento promotor do desenvolvimento das habilidades para a construção da autonomia e cidadania dessas pessoas.
 
Esse projeto inovador – que tem apoio da Lei de Incentivo ao Esporte – colocará os jovens com deficiência frente a frente com outros praticantes, em academias de São Paulo, proporcionando uma rara e importante integração. Eles serão acompanhados por uma equipe de profissionais altamente especializados, composta por professores de Educação Física Adaptada, médicos esportivos (ortopedistas, cardiologistas) e psicólogos.     
 
São 50 vagas para cada curso. As aulas têm início previsto para o mês de março e serão realizadas, a princípio, até o final de 2009, em academias localizadas no Ipiranga e em Diadema. Antes do início dos cursos, serão realizadas as avaliações médicas, físicas e psicológicas dos participantes. 
 
Desde a sua criação em 2007, a entidade promove a integração de pessoas com deficiência intelectual através da arte e da cultura. Com esse novo projeto, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural ampliará as opções oferecidas à sociedade, desta vez utilizando-se do esporte e de seus inúmeros benefícios.

Taekwondo  –  Os cerca de 50 jovens, de 10 a 28 anos, que participarem das aulas de Taekwondo aprenderão técnicas como Kibom Poonse, referente aos movimentos de mãos, braços e pernas, usadas para desenvolver velocidade, concentração e senso de equilíbrio. As aulas serão ministradas na Academia Lira Taekwondo Clube, localizada em Diadema, região do grande ABC. Taekwondo é uma arte marcial coreana que surgiu há cerca de dois mil anos e, em sentido global, indica a técnica de combate sem armas para defesa pessoal, envolvendo destreza no emprego das mãos, punhos e, principalmente, pernas.
 
Karatê – O karatê também beneficiará jovens, de 16 a 25 anos, para que eles tenham uma melhoria na saúde física e mental, através dos vários movimentos que serão ensinados pelos professores faixa-preta, com especialização em Educação Física Adaptada. As aulas serão ministradas na Academia Ken-in-Kan de Karatê, no Ipiranga.  Assim como o Taekwondo, além da parte física, o esporte desenvolve o espírito de equipe, competitividade liderança, mantêm o entusiasmo, fortalece o equilíbrio emocional, diminui o tempo de reação em função dos estímulos externos (visuais, táteis e auditivos), aumentando, assim, a capacidade do praticante de defender-se no ambiente que vive (segurança pessoal), e obtendo-se bons resultados cognitivos e sociais.  Karatê é uma palavra de origem japonesa e significa “mãos vazias”. É uma arte altamente científica, que faz o uso mais eficaz de todas as partes do corpo e seu maior objetivo é a perfeição do caráter, através da rigorosa disciplina da mente e do corpo.
 
Serviço – Projeto Taekwondo e Karatê – Inscrições abertas para as aulas –  Gratuito – Onde se inscrever: Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, pelo site -Mais informações: (11) 3081-9300 – E-mail: projetos@institutoolgakos.org.br
 
Patrocínio: Karatê – Grupo EDP Energias, Taekwondo – Visa Vale; Syngenta; Oi Futuro; Price Waterhouse Coopers; Banco Daycoval e Grupo Mapfre Seguros

Poucos sabem que o nosso idioma está repleto de palavras originadas a mitologia grego-romana. Vocábulos comuns, muitas vezes, escondem histórias fascinantes.

Janus olhava para o tempo que começava e para o que terminava ao mesmo tempo.

O mês de Janeiro, por exemplo, tem esse nome por ser consagrado a Janus, deus com duas faces que podia olhar ao mesmo tempo o ano que terminava e o que estava começando.

A palavra cereal é uma homenagem a deusa Ceres, que presidia as plantações e colheitas.

Museu é um prédio dedicado às musas, divindades que dirigiam as artes e o conhecimento.

Hypnos era o deus grego do sono.

O vocábulo pânico vem de Pan, deus com pequenos chifres e da cintura para baixo com corpo de bode. Os gregos atribuíam a ele o intenso medo que sentiam os que passavam por lugares desertos, em que o menor ruído era o sinal da presença do deus.

Hypnose tem sua raiz no nome do deus grego do sono, Hypnos, e designa o estado de sonolência associado à hipnose.

Eco era uma ninfa dos bosques e muito falante. Segundo Ovídio, Zeus havia usado do dom da fala de Eco para distrair a esposa, a fim de continuar seu adultério. Hera logo descobriu o ardil e condenou-a a para sempre repetir apenas as últimas palavras das frases que os outros diziam (ecolalia).

A ninfa perdia assim seu mais precioso dom, aquilo que mais amava. Certo dia, vagando Eco pelos bosques, encontrou o belo Narciso por quem caiu de amores. Como não podia falar-lhe, limitou-se a segui-lo, sem ser vista. O jovem, porém, estando perdido no caminho, perguntou: “Tem alguém aqui?” Ao que obteve apenas a resposta: “Aqui, aqui, aqui…”.

Eco se apaixonou por Narciso que não correspondeu seu sentimento.

Narciso intimou a quem respondia para sair do esconderijo. Eco apareceu-lhe e, como não podia falar, usou as mãos para em gestos dizer do grande amor que lhe devotava. Narciso, chateado com a quantidade de pessoas a amarem-no, rejeitou também à bela ninfa.

Acometida pela tristeza de não ter o seu amor correspondido por Narciso, definhou e virou uma pedra. Dela só restou a voz que até hoje responde quando se grita em vales de cavernas.

Segundo outras fontes, Eco era uma ninfa que tinha maravilhosos dons de canto e dança, que desprezava os amores de qualquer homem. O deus Pan dela se enamora, mas obtém-lhe apenas o desdém. Tolhido em sua lascívia, Pan se enfurece, ordenando aos seus seguidores que a matem. Eco foi então estripada, e seus pedaços espalhados por toda a Terra. A deusa da Terra, Gaia, incorporou os pedaços da ninfa, com os restos de sua voz, que repetem as últimas palavras que os outros dizem.