Arquivo da categoria ‘Atualidades’

caminhar-620x330Caminhar é uma atividade aeróbica perfeita: fácil, leve, melhora o seu astral e é capaz de proporcionar saúde, beleza e boa forma. Pode ser praticado por qualquer pessoa, independentemente da idade e do condicionamento físico. Além de ser a mais segura de todas as atividades aeróbicas — tanto sob o ponto de vista cardiovascular como ortopédico. Dificilmente sobrecarrega o coração e o risco de lesionar as articulações — em especial nos joelhos e tornozelos — é bem menor.

Especialistas afirmam que caminhar durante 30 minutos, 3 vezes por semana, pode ser tão eficiente no tratamento de depressão aguda quanto a utilização de medicamentos. Além de evitar doenças e melhorar a qualidade de vida. Para evitar dúvidas, é importante consultar um profissional da área de Educação Física e fazer uma avaliação médica.

Benefícios da Caminhada

  • Melhora a circulação sanguínea
  • Diminui os riscos de problemas cardíacos
  • Melhora a ansiedade e o estresse
  • Auxilia nas dietas de emagrecimento
  • Ajuda a tonificar e fortalecer os músculos
  • Reduz a pressão sanguínea e os níveis de colesterol no sangue
  • Evita o aparecimento da osteoporose
  • Combate o diabetes
  • Melhora o nível de condicionamento físico
  • Aumenta a imunidade do organismo
Anúncios

caminharO prazer de caminhar atraiu pensadores como Kant, Thoreau, Nietzsche e Rousseau. Cada qual o fazia de forma diferente. O poeta francês Rimbaud andava de maneira dispersa e desorganizada, com uma energia raivosa. Já Nietzsche dava a seus passos o tom de marcha. Kant era metódico e sistemático: saia todo dia, à mesma hora, e seguia a mesma rota. O que todos tinham em comum era que transferiram seus escritórios para o campo, onde as ideias fluíam livremente em plena natureza.

Para o filósofo francês, Frederic Gros, autor de “Caminhar. Uma Filosofia”, andar é uma atividade que atrai um número cada vez maior de adeptos por proporcionar relaxamento, comunhão com a natureza, plenitude. E não requer aprendizagem, técnica, equipamento e dinheiro, apenas um corpo, espaço e tempo. No livro, o especialista em psiquiatria, filosofia penal e editor dos últimos cursos de Michel Foucault no Collège de France explora a literatura, a história e a filosofia, e escreve um tratado filosófico e uma definição sobre a arte de caminhar.

Quando você começou a caminhar?
Foi relativamente tarde, aos 20 anos. Foram alguns amigos que me convenceram. Quando eu era criança, gostava de ir sozinho para as montanhas, mas a verdade é que o passeio consistente como uma excursão, veio mais tarde. Minha primeira experiência importante foi no verão quando eu dei uma volta pela Córsega. Eu andei a estrada GR-20. Foi difícil, mas a aliança entre as altas montanhas e o mar fez com que fosse maravilhoso.

Quantos quilômetros fez?
Éramos em sete pessoas e durou 15 dias, mas não sei quantos quilômetros fizemos. A verdade é que, quando se caminha não se conta, porque a dificuldade das trilhas faz você percorrer às vezes, poucos quilômetros em um dia. Quando se caminha mais fácil, através de estradas planas, como os andarilhos, a média é de 40 quilômetros por dia.

E o que acha dos aplicativos que calculam a distância e até mesmo as calorias consumidas?
Não uso. O importante é ter uma visão geral e que você só consegue com um mapa desdobrável. Em relação as calorias, quando se caminha sete ou mais horas, a maior preocupação é chegar ao próximo abrigo.

Em seu ensaio você associa a caminhada com grandes filósofos, por quê?
Esses pensadores transformaram as montanhas e florestas em locais de trabalho. Para eles, o andar não era um esporte ou um passeio turístico. Realmente, eles saíam com seus cadernos e lápis para encontrar novas ideias. Solidão era uma das condições para a criação.

caminharE a relação entre a caminhadas e as suas ideias?
Existem maneiras de caminhar que na verdade são estilos filosóficos. Por exemplo: Kant era sério e disciplinado, e é um filósofo que exige provas muito rigorosas com definições estritas. Ele tinha um jeito de andar que consistia em fazer todos os dias a mesma caminhada, na mesma hora. A escrita de Nietzsche, muito mais dispersa, com menos coesão, tem a ver com o fato de que ele procurava com o caminhar, sentimentos de energia e luz. Sua escrita é muito forte e rápida, não tão demonstrativa como a de Kant.

O que você quer dizer quando escreve sobre a perda da identidade que acontece quando se anda?
Bem, os efeitos da intensidade do passeio podem variar. Se você andar por quatro ou seis horas você está acompanhado de si mesmo, você pode dar atenção às suas memórias ou ter novas ideias. Mas depois de oito ou nove horas, o cansaço é tal que já não se sente o corpo. Toda a concentração é dirigida para o impulso de avançar. É quando ocorre a perda de identidade, devido à fadiga extrema. Caminhamos para nos reinventar, para nos dar outras identidades, outras possibilidades. Acima de tudo, ao nosso papel social. Na vida diária tudo está associado a função, uma profissão, um discurso, uma postura. Andar a pé é se livrar disso tudo. No final, a caminhada é não mais do que uma relação entre um corpo, uma paisagem e uma trilha.

Mas cada vez se anda menos, especialmente nas cidades, onde cada vez mais pessoas vivem.
No Terceiro Mundo, ao contrário, se anda muito. Mas é verdade que nas cidades isto está desaparecendo. Elas não são feitas para os pedestres.

Os jovens também não andam a pé.
As novas gerações consideram, e eles podem estar certos, que você tem que ser louco para ir aos lugares a pé, especialmente quando têm à disposição todos os tipos de invenções técnicas que fazem com que não tenham que andar. Para eles, a caminhada é um pouco monótona, em parte porque eles se acostumaram a mudar as telas de imagens que usam muito rapidamente e, quando andamos, as paisagens evoluem muito lentamente. Além disso, quando caminhamos, é sempre a mesma coisa.

E isso é visto como chato.
Para algumas pessoas, a caminhada é o exato oposto do significado de prazer porque nós tendemos a comparar prazer com excitação. E para que haja excitação é preciso uma novidade. Diante disso, descobrir o prazer de caminhar pode ser algo completamente exótico. Descobre-se uma dimensão que hoje está praticamente banida de nossa vida: a lentidão, a presença física. Durante a caminhada, todos os sentidos estão presentes: ouvimos os ruídos da floresta, se percebem as luzes.

E quem mais caminha são os aposentados?
Os sábios de antigamente tinham um ditado que pode nos surpreender hoje, “tenha pressa para chegar à velhice.” Eles consideravam que a velhice seria o tempo de vida em que poderíamos nos livrar de tudo e nos envolver com o cuidar de nós mesmos, le souci de soi (a atenção para si, apud Michel Foucault ), cura sui em latim. A caminhada também não tem nada de violenta ou brutal. Há uma regularidade nela que tranquiliza, acalma. E isso está longe de qualquer busca de resultado. Assim, a primeira frase do livro é “andar não é um esporte.” Não faça marcas, não tente superar a si mesmo. Andar a pé é uma experiência autêntica, embora talvez não seja moderna.

Andar libertou você da vida acadêmica? Eu li que você está preparando um livro sobre a desobediência.
Thoreau escreveu o primeiro livro em pé e, curiosamente, também escreveu o primeiro livro sobre a desobediência civil. É verdade que a caminhada nos ensina a desobedecer. Porque andar nos obriga a ter uma distância que é também uma distância crítica. No mundo acadêmico, todo mundo é obrigado a provar o que diz. Neste livro eu queria explorar sonhos. A provocação que faço aos pensadores, é que você não é o que você pensa, mas como você anda. Eu não queria voltar para as doutrinas, mas sim explorar os estilos.

***
Fonte: El Mundo

A importância das árvores

Publicado: 21/09/2015 por Kakao Braga em Atualidades, Meio Ambiente
Tags:,
árvores / albieri / bome / bäume / الأشجار / 树 / árboles / arbres / δένδρα / עצים / trees / 木 / drzew / деревья / miti / ağaçlar / crainn / पेड़ / stromy

arvores2Não importa se em português, italiano, africâner, alemão, árabe, chinês, espanhol, francês, grego, hebraico, inglês,  japonês, polonês, russo, suaíle, turco, irlandês, hindi ou tcheco.

“Cada árvore é única na sua textura, cor, cheiro, folhas, flores e frutos, não tem frente e nem costas, crescem para todos os lados e continuamente, querendo abraçar e acolher todos que chegam à sua volta. Ela nos fornece alimento, ar, sombra e muitos materiais, com os quais podemos desenvolver incontáveis produtos aplicando nossa sabedoria e criatividade. Está sempre presente – como um símbolo maior, marcante e sábio. Acompanham nossas histórias, gerações após gerações, nunca se fazendo indiferente à presença do ser humano, ao contrário, sempre nos dando muito do que necessitamos. Porém, com o tempo, nós passamos simplesmente a tirar o que precisamos, sem medir as conseqüências do que deixaríamos para o futuro.

A humanidade aprendeu e cresceu muito pesquisando suas propriedades. As mais variadas religiões e culturas sempre valorizaram sua presença como ser vegetal de presença análoga à do homem. Desde pequenos sentimos e experimentamos as árvores em nossas vidas, mesmo que de uma forma inconsciente… Mas com a vida moderna das grandes cidades, nos transformamos em pessoas individualistas e fragmentadas criando uma cisão no nosso contato com a natureza.

arvores1A essência da beleza humana está protegida dentro da nossa alma, assim como uma semente que a árvore gera para se multiplicar. Todo nosso potencial e valores estão dentro dessa semente que temos que cuidar alegremente, dando condições para esses valores tão belos brotarem, crescerem e inspirarem… E podemos acessá-los através do cuidado, respeito e amor com outros seres da natureza!” – Texto de Juliana Gatti

Os benefícios que a árvore nos traz são inúmeros e variados. Sua importância é estar associada à vida, ao ar que respiramos. Daí a necessidade de mantermos o equilíbrio das florestas, preservando as matas nativas e mantendo protegidos os mananciais, onde fauna e flora encontram ambientes diferenciados. Benefícios: Proteção dos Solos (Evitam a erosão. A erosão leva embora as sementes que poderiam germinar); Proteção de rios e nascentes (Evitam o assoreamento e contaminação); Fertilização (Trazem nutrientes do subsolo para a superfície e formam húmus com a queda de seus galhos e folhas); Fornecimento de materiais (madeira, papel, carvão, substâncias medicinais, além de óleos, resinas, gomas, essências, mel, frutos, flores, entre outros); Preservação da vida silvestre e de plantas (servem para abrigo, alimentação ou reprodução de animais); Retirada de poluentes do ar; Influência na economia (servem como fonte de renda: indústria química, farmacêutica, cosmética, etc.); Influência no clima (influenciam na umidade, precipitação, escoamento superficial e temperatura, entre outros fatores); Diminuição de ruídos externos; Embelezamento da cidade e valorização dos imóveis do ponto de vista ambiental, paisagístico e econômico; Contribuição para o equilíbrio psicossocial, transmitindo sensação de calma e conforto às pessoas.

arvoresA importância das Árvores:

  • Uma grande árvore pode providenciar as necessidades de oxigênio para nossa existência
  • Retém CO2
  • Árvores podem reduzir a incidência de asma, câncer de pele e doenças relacionadas ao estresse, pois ajudam a diminuir a poluição do ar, promovem sombreamento e um ambiente atrativo, calmo e adequado para recreação
  • Ajudam a reduzir em até 10% o consumo de energia por meio do efeito de moderação climática local
  • Desenvolvem um papel importantíssimo no ecosistema pois são responsáveis por manter mais de 50% da biodiversidade
  • Árvores reduzem poluição sonora e os ventos, mantendo umidade do ar e chuvas regulares
  • Fornecem base para produtos como medicamentos e chás, além de frutas, flores, sementes, fibras, madeira, látex, resinas e pigmentos
  • Promovem saúde dos solos e evitam erosão com suas raízes
  • Beleza natural para nossos olhares e almas

almanaque-1Quem nunca teve uma almanaque em suas mãos não existe. Os almanaques viraram mania. Mas, antigamente, eles eram até mais comuns! Os almanaques – publicações que divulgam textos bem variados, tratando de temas diversos – muitas vezes eram os materiais de leitura mais acessíveis e estavam presentes nos mais diversos contextos e momentos sociais.

Os almanaques são publicações anuais, sob o formato de calendário, e apresentam indicações astrológicas, previsões meteorológicas destinadas aos agricultores, orientações sobre saúde e comportamento, além de curiosidades, provérbios, receitas, etc. Neste sentido, a publicação mais conhecida deste gênero ainda em circulação é o Almanaque do Pensamento, tradicional anuário editado desde 1912, em São Paulo, pela Editora Pensamento.
Desde as primeiras décadas do século XX, em várias partes do mundo, a publicação de almanaques anuais gozou de grande prestígio junto às famílias, sendo tamanha a sua abrangência e importância no cotidiano que um tradicional almanaque francês, o Almanach Hachette, se subintitulava Petite Encilopédie Populaire de la Vie Pratique (Pequena Enciclopédia Popular da Vida Prática).
250px-Poor_Richard_Almanack_1739Aqui no Brasil os almanaques também eram considerados uma minienciclopédia do cotidiano. Até meados dos anos 70 as famílias letradas procuravam, ao fim de cada ano, os almanaques do ano vindouro, sem que isso significasse o descarte do almanaque “vencido”. Neles, diversão e informação se misturavam de maneira tão singular que era sempre possível, e comum, numa relida, descobrir alguma novidade.
Existiram almanaques de todos os tipos e para todos os gostos. Eles podem ser ao mesmo tempo úteis, lúdicos e prazerosos, didáticos, de devoção, temáticos, tradicionais ou modernos ou tudo isso junto! Afinal, parece que seu objetivo maior sempre é o de responder a todas as perguntas e curiosidades. Nos diferentes tipos de almanaques podemos encontrar informações como: datas importantes e comemorativas, calendários dos santos de cada dia, fases da lua e até textos poéticos (contos, poesia, crônicas ou enciclopédicos), ou seja, nos almanaques tem de tudo um pouco.

Os “Almanaques de Farmácia” são um exemplo dessa diversidade. Eram publicados com o patrocínio de laboratórios farmacêuticos que os utilizavam como estratégia publicitária principalmente para os seus fortificantes e medicamentos. Assim, eram distribuídos gratuitamente pelas empresas e laboratórios em grandes tiragens fazendo com que seus exemplares chegassem às regiões mais distantes do país. Talvez venha daí o fato dos almanaques de farmácia terem sido os mais populares e até hoje estarem presentes nas lembranças dos mais variados e modestos leitores.

Se se perguntasse para alguém mais velho da família sobre almanaques, com certeza surgirão nomes engraçados como: OPharol da Medicina, Almanaque Sadol, Almanaque do Licor de Cacau Xavier, Almanaqualmanaque-biocore Dr. Schilling, Almanaque Saúde da Mulher, Almanak de Bristol, Almanaque Capivarol, Almanaque Bayer, Almanaque Gessy… Ufa! Ah, e é claro: o Almanaque Biotônico Fontoura, provavelmente o mais conhecido de todos.

O Almanaque Biotônico Fontoura, lançado em 1920, foi criado (elaborado e ilustrado) por ninguém menos que Monteiro Lobato! Lobato criou nas suas páginas o folclórico personagem Jeca Tatu, o caipira que fez tanto sucesso que apareceu também nos seus livros infantis.

Os almanaques farmacêuticos do século XX formaram um capítulo importante da história da leitura no Brasil.

Origem da palavra Almanaque

Do árabe almanakh : Tem várias hipóteses para sua origem. A mais sóbria diz que vem de al-manaj, o círculo dos meses: manaj parece ser a arabização do vocábulo latino manacus, que designava o círculo do relógio solar que marca a sucessão dos meses. Combina com a finalidade primordial dos almanaques, que sempre foi a de publicar o calendário com as estações, a lunação, os eclipses etc. Outra hipótese, muito mais imaginativa, também passa pelos árabes: o vocábulo viria de al-manah: lugar onde se pára numa viagem, local onde o camelo descansa, referindo-se às 12 paradas que a Terra faria no seu trajeto ao redor do Sol, nas casas do zodíaco, e lembrando, ao mesmo tempo, o local onde os condutores de caravanas estacionavam para descansar e trocar entre si notícias, histórias curiosas e fatos pitorescos, bem ao modo dos almanaques modernos.

Ainda outra origem por vezes mencionada é que palavra vem do árabe al-manakh, o lugar onde onde o camelo se ajoelha, onde os nômades se reuniam para rezar e contar as experiências de viagens ou notícias de terras distantes. Em português

Originalmente, almanaque (do árabe al-manakh) é o lugar , a parada numa viagem, ou seja, é hora de descanso e abastecimento para os camelos e provavelmente também para seus “tripulantes”.

leituraNo mundo moderno, em que existem os mais variados tipos de tecnologia para todos os gostos e bolsos, algumas pessoas deixaram a leitura de lado. As crianças e os jovens, desinteressados pelos livros, estão com um vocabulário cada vez mais limitado e pobre. Mas, o que é um livro afinal? O homem através da leitura abre as portas para a percepção da sua e de outras realidades. Segundo a pesquisadora Solange Gomes, especialista na Linguagem e Mestre na Educação, a leitura acrescenta um poderoso e essencial instrumento libertário para sobrevivência humana e, assim, ampliar nossa visão e nosso horizonte nas expectativas de vida.
O hábito de ler, para a estudiosa, deve ser estruturado desde a infância, a fim de que, o individuo aprenda cedo que ler é algo importante e prazeroso, e tornara um adulto culto, dinâmico e perspicaz. “A importância da leitura esta na formação de cidadãos mais informativos e críticos dentro de uma sociedade.”
Vantagens da leitura:
  • enriquecimento do vocabulário
  • traz mais conhecimento e cultura
  • amplia o raciocínio e a interpretação
  • descoberta de um mundo novo e cheio de coisas desconhecidas.
  • desenvolve a capacidade de interpretação.
  • aumenta o senso crítico
Bienal Internacional do Livro
De 22 a 31 de agosto, acontecerá a 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. O evento é um dos maiores acontecimentos do livro na América Latina e reunirá as principais editoras, livrarias e distribuidoras do Brasil. Mescla literatura com diversão, negócios, gastronomia e cultura. O horário de funcionamento de segunda a sexta é de 9h às 22h, aos sábados e domingos de 10h às 22h  no pavilhão de Exposições do Anhembi. Nesta edição, o tema é “Diversão, cultura e interatividade: Tudo junto e misturado”. A proposta prevê atividades relacionadas a outras áreas além dos livros, como música, teatro, gastronomia e dança. Além de escritores best sellers, como Kiera Cass (da triologia “A seleção”) e Harlan Coben (nº na lista do “New York Times”), participam nomes como o rapper Emicida e o chef de cozinha Alexa Atala.
Antecedendo ao evento acontecerá também o 5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital, nos dias 21 e 22 de agosto.  Estão confirmadas as presenças de importantes convidados internacionais, entre eles Jason Markoski, o primeiro evangelista de tecnologia da Amazon., na palestra de abertura. O tema deste ano é Conteúdo em Convergência, a revolução dos livros digitais e o conteúdo em convergência.
Serviço:
23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
22 a 31 de agosto de 2014
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana
02012-021 São Paulo – SP
5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital
21 e 22 de agosto de 2014
Auditório Elis Regina – Palácio das Convenções do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana
02012-021 São Paulo – SP

ImagemQuando você trabalha em um computador por qualquer período de tempo, é comum passar pela experiência de fadiga ocular, visão turva, olhos vermelhos e outros sintomas da síndrome da visão de computador. Isso ocorre porque as demandas visuais de trabalho em um computador são diferentes daquelas associadas com a maioria das outras atividades.

Para quem tem menos de 40 anos de idade, o cansaço visual ou visão turva durante o trabalho de computador pode ser devido a uma incapacidade dos olhos para permanecer focado com precisão na tela ou porque os olhos têm dificuldade para mudar o foco do teclado para a tela e voltar ao teclado em períodos de tempo prolongados. Estes problemas de focagem muitas vezes estão associados com a síndrome da visão de computador. Já para quem passou dos 40, o problema pode ser devido ao aparecimento da presbiopia – a perda de foco relacionada com a idade e que também pode causar sintomas da síndrome da visão de computador.

Para começar, é importante fazer um exame oftalmológico completo para descartar problemas de visão e atualizar o grau dos óculos. Estudos mostram que mesmo pequenas incorreções nas lentes de prescrição podem contribuir para problemas de visão por computador.

Quem não precisa de óculos de grau para a maioria das tarefas e, ainda assim continua a sentir desconforto visual quando utiliza o computador, precisa considerar a compra de óculos personalizados para usar diante das telas. Estes óculos são prescritos especificamente para reduzir o cansaço visual e proporcionar uma visão mais confortável diante do computador.

Embora por vezes sejam chamados de “óculos de leitura de computador”, é melhor chamar de óculos projetado especificamente para o uso do computador ou “óculos de computador” de forma a distingui-los dos tradicionais óculos de leitura convencionais. Óculos de computador colocam o poder da lente de forma ideal para a visualização da tela do computador, onde se necessita de um campo claro de vista, sem a necessidade de esforço da focalização excessiva ou posturas insalubres.

A maioria das pessoas usa óculos para corrigir a visão à distância. Óculos de leitura são prescritos para corrigir a visão de perto. E bifocais são prescritos para pessoas com mais de 40 anos de idade com presbiopia para corrigir perto e longe. Mesmo trifocais e lentes progressivas (que têm algum poder da lente para visão intermediária), muitas vezes não têm uma zona intermediária grande o suficiente para uma visão confortável diante do computador.

Portanto, resista à tentação de comprar óculos de leitura para usar como “óculos de computador”. Porque, para se obter todos os benefícios deste tipo de óculos, o melhor mesmo é ouvir a palavra de um oftalmologista experiente.

Porém, antes de agendar o exame de olho, deve-se medir o quão longe se senta da tela do computador. A medida deve ser feita a partir da ponta do nariz até a superfície da tela do computador. Esta medida deverá ser levada no dia do exame para que o oftalmologista a utilize para determinar o poder da lente ideal para os óculos de computador.

(Fonte: All About Vision)

e seus significados:

enviado por Clene Salles

Imagem

1 – “Certo”: Esta é a palavra que as mulheres usam para encerrar uma discussão quando elas estão certas e você precisa se calar.

2 – “5 minutos”: Se ela está se arrumando significa meia hora. “5 minutos” só são cinco minutos se esse for o prazo que ela te deu para ver o futebol antes de ajudar nas tarefas domésticas.

3 – “Nada”: Esta é a calmaria antes da tempestade. Significa que ALGO está acontecendo e que você deve ficar atento. Discussões que começam em “Nada” normalmente terminam em “Certo”.

4 – “Você que sabe”: É um desafio, não uma permissão. Ela está te desafiando, e nessa hora você tem que saber o que ela quer… e não diga que também não sabe!

5 – Suspiro ALTO: Não é realmente uma palavra, é uma declaração não-verbal que frequentemente confunde os homens. Um suspiro alto significa que ela pensa que você é um idiota e que ela está imaginando porque ela está perdendo tempo parada ali discutindo com você sobre “Nada”.

6 – “Tudo bem”: Uma das mais perigosas expressões ditas por uma mulher. “Tudo bem” significa que ela quer pensar muito bem antes de decidir como e quando você vai pagar por sua mancada.

7 – “Obrigada”: Uma mulher está agradecendo, não questione, nem desmaie. Apenas diga “por nada”. (Uma colocação pessoal: é verdade, a menos que ela diga “MUITO obrigada” – isso é PURO SARCASMO e ela não está agradecendo por coisa nenhuma. Nesse caso, NÃO diga “por nada”. Isso apenas provocará o “Esquece”).

8 – “Esquece”: É uma mulher dizendo “FODA-SE!!”

9 – “Deixa pra lá, EU resolvo”: Outra expressão perigosa, significando que uma mulher disse várias vezes para um homem fazer algo, mas agora está fazendo ela mesma. Isso resultará no homem perguntando “o que aconteceu?”. Para a resposta da mulher, consulte o item 3.

10 – “Precisamos conversar!”: Fodeu!! Você está a 30 segundos de levar um pé na bunda.

11 – “Sabe, eu estive pensando…”: Esta expressão até parece inofensiva, mas usualmente precede os Quatro Cavaleiros do Apocalipse…