Arquivo da categoria ‘Arte & Cultura’

Mais de 300 atividades culturais e educativas, ligadas aos temas da sustentabilidade, agitarão a capital paulista durante o final de semana do Dia Mundial do Meio Ambiente.
Com centenas de atrações espalhadas por mais de 60 espaços e parques da cidade, São Paulo receberá, nos dias 4 e 5 de junho, a primeira edição da Virada Sustentável, que tem o objetivo de ampliar a informação sobre sustentabilidade a partir de uma abordagem positiva para a população, usando a arte e a cultura como principais ferramentas de comunicação – e transformação.

Logo após a abertura, que ocorre no sábado às 8h com atividades de yoga e meditação nos parques, a capital paulista será tomada por diversas atrações, como exposições, filmes, oficinas, workshops, peças e shows de música, sempre com conteúdo ligado aos temas da sustentabilidade. Meio ambiente, biodiversidade, direitos humanos, mudanças climáticas, mobilidade urbana, lixo e qualidade de vida serão alguns dos temas das atividades. Todas as atrações são gratuitas. No primeiro dia, as atividades acontecem das 8h às 24h. No domingo, as atrações iniciam novamente às 8h e terminam às 20h.

“A Virada Sustentável teve a preocupação, desde o início, de pulverizar sua programação em diferentes locais da cidade, de forma a evitar grandes deslocamentos e, principalmente, grandes aglomerações em um único local. Outro cuidado foi o de não promover o evento apenas em locais visitados pela população das classes média e alta, o que explica a presença de diversas atividades nas regiões periféricas da cidade, como os bairros de Capão Redondo, na zona Sul, ou Belém, na zona Leste”, explica o jornalista André Palhano, organizador do evento.

O concurso leva o nome de Bidu Sayão, pois ela foi a maior cantora lírica do Brasil, reconhecida internacionalmente

Cinquenta e sete candidatos do Brasil e do Exterior vão participar do 9º Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão, a principal e mais importante competição de Canto Lírico do país e da América Latina. O Concurso que acontece de 20 a 24 de abril e terá o concerto de encerramento e premiação no dia 27 de abril, chega a sua nona edição consolidado por sua seriedade, além da busca e descoberta de novos talentos.
Ao todo foram 136 inscrições e 57 dos candidatos foram classificados para o Concurso, sendo que dez são estrangeiros, da Itália, Áustria, Rússia, Cuba, Estados Unidos, Coréia do Sul, Argentina e Uruguai. Quarenta e sete são dos Estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Bahia, São Paulo, Pará, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Goiás e Brasília.

A primeira, a segunda e a terceira colocações de cada categoria (feminino e masculino) receberá além do troféu, respectivamente R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil. Os melhores intérpretes de Canção, de Ária de Ópera Masculino e Feminino serão contemplados, cada um, com diploma e R$ 2 mil. Haverá prêmios também nas categorias “Júri Popular Feminino”, “Júri Popular Masculino”, “Revelação” e “Estímulo”.

Organizado pela São Paulo ImagemData / Casa da Ópera, o concurso é patrocinado pelo CEMIG e conta com o apoio do Governo do Estado de Minas Gerais, através da Secretaria da Cultura, da Fundação Clóvis Salgado e do Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

Criado em 1999 por Cleber Papa e Rosana Caramaschi, o concurso homenageia a artista brasileira Bidu Sayão, grande estrela do canto lírico brasileiro e uma das grandes cantoras do século XX , que foi a parceira favorita de Villa-Lobos por 38 anos e por mais de uma década foi a principal soprano do Metropolitan Opera House de New York. Dona de uma voz límpida e delicada, Bidu iniciou sua carreira aos 18 anos no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 1957, com 54 anos, encerrou sua carreira artística, embora ainda estivesse em perfeita forma. Morreu aos 96 anos em 1999 no Estado do Maine, nos Estados Unidos, onde viveu a maior parte de sua vida.

A competição, em suas nove edições, contabiliza mais de mil inscrições de todo o Brasil e do exterior. Já foram premiados mais de 70 cantores, além de revelados nomes, como: Gabriella Pace, Rodolfo Giugliani, Carmen Monarcha, Thiago Arancan, Denise de Freitas entre outros.

Serviço:
9º Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão
Eliminatórias: 20 e 21 de abril, a partir das 15h30 / Semifinais: 22 de abril, a partir das 17h e 23 de abril, a partir das 15h / Final: 24 de abril, a partir das 15h – Conservatório Mineiro de Música – Av. Afonso Pena, 1534, Centro, Belo Horizonte (MG) – Entrada Franca
Concerto de Encerramento e Premiação – 27 de Abril de 2011, a partir das 20h30 – Grande Auditório do Palácio das Artes – Av. Afonso Pena, 1537, Belo Horizonte (MG) – Entradas: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia)
Organização: São Paulo ImagemData /Casa da Ópera
Patrocínio: CEMIG
Apoio: Governo do Estado de Minas Gerais, através da Secretaria da Cultura, da Fundação Clóvis Salgado e do Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.
Informações: telefone (11) 3815-5811 ou pelo site: www.bidusayao.com.br

Festividades incluem inauguração do Parque Histórico de Carambeí em abril

De 01 a 04 de abril de 2011, a colônia holandesa do país estará literalmente em festa. Mais especificamente na cidade de Carambeí (PR) – um dos seis pólos batávicos no Brasil, a 150 km de Curitiba, onde será celebrado o Centenário da Imigração. As festividades ocorrerão dentro do Parque Histórico de Carambeí (PHC – http://www.parquehistóricodecarambei.com.br), com área de 100 mil m2, que será inaugurado para a ocasião. Estão programados festival de tortas e artesanato, show musical e aéreo, entre outras atrações.

O parque será composto por diversas alas, como parque de exposições e espaços museológicos que contam um pouco da colonização do município. A Casa da Memória, por exemplo, reunirá registros da vida cotidiana dos imigrantes por meio de objetos, roupas e móveis que eles usavam. Já a Vila Histórica representará as casas da primeira vila de Carambeí, assim como a Estação de Trem Carambeí da Brazil Railway Company.

Para homenagear a tecnologia e a arquitetura desenvolvidas pelos holandeses, o parque terá a ‘Engenharia das Águas’, ala que representará as principais soluções aprimoradas por esse povo, como diques e os famosos canais da capital holandesa. O Centro Cultural Amsterdã, por sua vez, reproduzirá um quarteirão com as típicas construções da cidade, incluindo uma réplica de ponte doada pelo governo de Amsterdam.

Outro motivo de celebração é a recente sanção da presidenta Dilma Roussef sobre o projeto de lei que instituiu 2011 como Ano da Holanda no Brasil. Ele foi apresentado em 2010 pelo secretário da Fazenda do Estado, Luiz Carlos Hauly.

A Festa do Centenário
Não há dúvidas de que, durante os dias destinados à festa, Carambeí será opção certa de passeio para moradores dos distritos vizinhos ou até mesmo turistas de outros estados e do exterior. O evento terá início com o Fórum Empresarial na sexta-feira, dia 01.

No segundo dia, o parque abrirá as portas às 9h15. Estão programados desfile temático com Banda Marcial, inauguração da Vila Histórica de Carambeí com show aéreo, apresentações culturais e show de fogos piromusical com balonismo, entre outros.

O domingo começará com a Cavalgada dos Imigrantes, no centro de Carambeí, e término no Parque Histórico onde será celebrado culto ecumênico para toda a população e convidados da festa, além da meia maratona do Centenário da BRF.

No dia 4 de abril, será lançado o segundo livro da Coleção Imigrantes. A publicação esclarecerá detalhes da trajetória da Associação do Parque Histórico de Carambeí, cuja diretoria é formada por Dick Carlos de Geus, Franke Dijkstra e Gaspar João de Geus. Além de descendentes de holandeses, todos possuem forte vínculo com o agronegócio da região.

Para que todos os brasileiros e holandeses possam acompanhar e participar do calendário de eventos programados para 2011, a embaixada da Holanda no Brasil disponibilizou o seguinte endereço eletrônico: http://www.anodaholandanobrasil.com.br.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Estão abertas, até 15 de março, as inscrições para o 9º Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão, a mais importante competição vocal da América Latina e a que oferece os melhores prêmios: mais de R$ 70 mil em dinheiro. O concurso acontece entre 20 a 27 de abril e poderá ser acompanhado pelo público em geral, no Teatro do Conservatório Mineiro de Música, em Belo Horizonte (MG).

Podem participar cantores de quaisquer nacionalidades, nascidos entre 1º de janeiro de 1974 e Janeiro de 1993. Todos os inscritos serão avaliados previamente pelo material enviado, entre documentos, currículo e audição de uma peça de livre escolha, gravada em DVD.

Serão três etapas de provas: eliminatória, semifinal e final. Em cada uma das fases, o participante deverá interpretar composições, em pelo menos duas línguas, conforme os critérios do regulamento e seu registro vocal: soprano, mezzo soprano, tenor, contratenor, barítono, baixo e baixo-barítono.

Organizada pela São Paulo ImagemData / Casa da Ópera, a competição tem como objetivo identificar novos talentos, colocando-os em evidência e ampliando seus níveis de referência. Dando aos participantes a oportunidade de se apresentarem para maestros e diretores de casas de ópera do Brasil e de outros países, seguindo os parâmetros e critérios internacionais.

O Concerto de Encerramento e Premiação será dia 27 de abril, no Grande Auditório do Palácio das Artes, em Belo Horizonte (MG), com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, sob a regência do maestro Marcelo Ramos.

9º Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão
Inscrições: até 15 de março de 2011 – Informações: www.bidusayao.com.br ou
Eliminatórias: 20 e 21 de abril, a partir das 16h – Entrada Franca
Semifinais: 22 e 23 de abril, a partir das 16h – Entrada Franca
Final: 24 de abril, a partir das 18h – Entrada Franca
Conservatório Mineiro de Música – Av. Afonso Pena, 1534, Centro, Belo Horizonte (MG)
Concerto de Encerramento e Premiação – 27 de Abril de 2011, a partir das 19h – Entrada Franca
Grande Auditório do Palácio das Artes – Av. Afonso Pena, 1537, Belo Horizonte (MG)
Informações: telefone (11) 3815-5811 ou pelo site: www.bidusayao.com.br

Por Ricardo Kensk

Nada se cria. Tudo se copia. Segundo Kirby Ferguson, nos dias de hoje, everything is a remix.

Em cima deste conceito, o americano está criando uma série de vídeos (2 até o momento) que mostra como a indústria cultural, principalmente música (no primeiro vídeo) e cinema (no segundo), não consegue não se apropriar do já existente para criar novos produtos (como um terrível vício). A tese é logicamente mais antiga que esses caras e está sendo hoje em dia muito expandida dentro dos meios acadêmicos. Rick Altman no seu importante livro Os gêneros cinematográficos (2000) falava que este vício vem da necessidade da indústria de estar sempre criando franquias para fidelizar o público (gerando assim mais dinheiro) e o francês Nicolas Borriaud em seu Pós-produção (2007 ) discutia como hoje é mais legal justamente se apropriar do já feito para gerar novos produtos (aqui na verdade ia para o lado da apropriação e alteração em montagem, um uso mais artístico e consequentemente, mais valioso).

Mas nenhum dos acadêmicos fez um vídeo tão interessante e bem editado como fez o senhor Ferguson (o figura acima), que ainda por cima ilustra claramente como a indústria cinematográfica é repetitiva, girando sempre sobre os mesmos temas e conceitos (inclusive visualmente). Cinema é indústria e, para isso, deve render dinheiro (o formato disto foi inclusive brilhantemente atacado recentemente pelo mestre Coppola ). E para render dinheiro, nada como jogar em terreno seguro, na melhor lógica de não se mexe em time que está ganhando (se está realmente ganhando nos dias de hoje é outro ponto a se discutir).

Ilustrando também o conceito e focando sobre o exemplo do Kill Bill, o editor Rob Wilson fez outro vídeo (em parceria com Ferguson, inclusive) que mostra todas as milhares de referências usadas por Tarantino para compor o que poderia ser a obra-prima do remixing. Tarantino é o rei do copy/paste e é o melhor a se apropriar de signos antigos para criar alguma coisa ao mesmo tempo pop/vendável e inovador/vanguardista. Por isso mesmo tem milhões de teses por aí usando o figura para ilustrar conceitos do pós-modernismo. Se todo mundo copia tudo descaradamente, achando que está criando algo inovador, aqui a graça está justamente em expor essas referências e jogar com elas. É o mashup no lugar do remix.

Os dois vídeos ajudam a jogar nova luz nos estudos acadêmicos e a expor de forma fácil e divertida as manjadas fórmulas da indústria cinematográfica, que explora demais os plots, as estruturas de roteiro, os mesmos personagens e situações, as mesmas fontes e referências. Algo muito bom e positivo deve vir de isso tudo no futuro. Como diria Lars Von Trier, “se você pensar que a história da arte começou quando um homem rabiscou a caverna e comparar com os cem anos da história do cinema, podemos pensar que agora mal sabemos como desenhar um bisão”.

Fonte: Blog Audio Visual em Palavras