Daruma-San: O Talismã de ano novo

Publicado: 28/12/2011 por Elisa em Atualidades, Espiritualidade & Religião, História, Psicologia & Comportamento

Dentre muitos talismãs (enguimonô) existentes no Japão, o Daruma (達磨) é um dos mais antigos e populares. Daruma-san, como é também conhecido, é uma espécie de boneco que representa Bodhidharma, um monge da Índia que fundou o Zen Budismo na China. É muito procurado pelo povo e pelos turistas em virtude dele trazer-lhe paciência de Jó, luta e realização do seu sonho e finalmente sucesso nas atividades profissionais. É um presente popular para encorajamento, que ajuda a alcançar sonhos ao auxiliar a manter o foco no objetivo estabelecido. O Daruma-san é também símbolo da perseverança e esforço constante, seus outros nomes são Huto (‘O velho que nunca cai’) e Okiagari-Koboshi (O pequeno monge que sempre se levanta).

O Daruma-san geralmente é feito de madeira e é representado como uma figura arrendondada, com corpo vermelho (para espantar “o olho gordo”), sem braços e sem pernas. O fundo dele é pesado para que possa levantar-se simultaneamente mesmo estando na posição de queda. O fato de Daruma-san não cair, representa “jamais desistir”, tanto que há um provérbio japonês que se diz: “NANA KOROBI, YA OKI”, que quer dizer “Caia sete vezes mas levante oito vezes”.

Seus olhos não têm pupilas. As pessoas usam os bonecos para fazerem pedidos. Para fazer um desejo: ao segurar o Daruma-san, pinte o olho esquerdo do boneco enquanto você faz um pedido. Pinte o olho direito quando o desejo for realizado. Então leve-o a um templo ou santuário budista como uma oferenda. Tais templos costumam queimar os bonecos no Ano Novo.

Na China Antiga havia um monge budista chamado Bodhidharma que buscava o conhecimento sobre a verdade da vida, após diversas tentativas através da prática ascética nada descobriu. Dessa forma, tomou a decisão de sentar-se em frente à parede de um templo para meditar sobre a vida e chegar a uma conclusão à respeito de sua verdadeira essência. Ele levou 9 anos para alcançar esse despertar, optou por permanecer sentado numa mesma posição durante todo esse período, assim seus braços e pernas atrofiaram, e arrancou as pálpebras de seus olhos para não dormir nesse tempo de meditação. Ele foi o fundador da religião ZEN BUDISMO.

O ZEN BUDISMO foi levado para o Japão no início do século 12.  O nome Daruma foi dado pelos japoneses (vem da pronúncia de Dharma). Na época de Muromachi-Jidai (1333 – 1568) surgiu no Japão o boneco Daruma representado na mesma posição do monge em sua meditação e dos bonecos teimosos provenientes da China, e na época de Edo (1603 – 1868), chegou ao formato em que é apresentado na atualidade. Nesse período já havia no âmago do povo japonês o sentimento de se proteger usando o DARUMA como um talismã para evitar de todos os males existentes na colheita agrícola, caça e pesca… Desde então, o talismã DARUMA é utilizado nas casas comerciais, nos lares e no decorrer do tempo, pelos políticos em campanha eleitoral.

O povo japonês costuma comprar esse boneco que é vendido em barraquinhas localizadas próximo aos templos e santuários , no ano novo, para que se concretize o sonho depositado no ano que se inicia. Ao comprá-lo, vem sem os olhos: quando você quiser que o seu desejo se realize, pinte um dos seus olhos e, se o pedido for atendido, o outro deverá ser pintado em sinal de gratidão.

Diz a lenda que, ao se ganhar um Daruma-san, deve-se:
– Pensar em um objetivo a ser alcançado;
– Pintar um olho do Daruma-san, representando o seu comprometimento com o objetivo;
– Quando o objetivo for traçado, pintar o outro olho.

Curiosidades
O Daruma-san tem um templo próprio, Daruma-dera, localizado em Takasaki, na província de Gunma, no Japão. Nesta mesma cidade acontece o Festival dos Bonecos Daruma (6 e 7 de janeiro), frequentado por cerca de 400.000 pessoas que vão rezar por um bom ano.

Os pêlos no rosto do Daruma simbolizam animais da cultura japonesa representativos da longevidade: o tsuru (grou) e a tartaruga. As sobrancelhas remetem ao tsuru, enquanto que os pêlos nas bochechas lembram os cascos da tartaruga. Diz-se que o Daruma-san foi feito para lembrar o seguinte provérbio: “Tsuru wa sen nen, kame wa man nen” (鶴は千年亀は万年), ou seja, o tsuru vive 1.000 anos, e a tartaruga 10.000 anos, reforçando a ideia de longevidade.

Fonte: Nipocultura, Soono, Nikkeypedia

Anúncios
comentários
  1. Gisele disse:

    Olá!
    Na empresa em que trabalho há um desse bem na recepção. A cada ano o presidente da empresa, traz um novo e o substitui. Dizem que há muitos anos ele tem esse hábito para que os negócios da empresa melhorem. Vale a fé! Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s