Mercado não está preparado para suprir consumidores de diet e light

Publicado: 06/10/2011 por Kakao Braga em Atualidades, Saúde

A ideia de corpo perfeito é propagada de todas as formas, em revistas, na TV, até mesmo o mercado de trabalho atualmente dá preferência a pessoas que atendam aos padrões de beleza exigidos pela mídia, mas nem sempre é fácil manter um padrão saudável de alimentação, não só pelas privações, mas também porque não se consegue comer de maneira adequada em qualquer lugar.

Porções reduzidas são entrave para quem segue dietas restritivas. Diabéticos, hipertensos, celíacos, fenilcetonúricos e pessoas que fazem dietas hipocalóricas muitas vezes encontram dificuldades ao comerem fora de casa. A estudante de enfermagem Cristiane Orlandini, acabou de passar por uma cirurgia de redução de estômago e precisa consumir alimentos pouco calóricos, em porções reduzidas e sem açúcar ou gordura, mas nem sempre consegue fazer isso quando não está em casa. “Não acho produtos feitos com leite desnatado, por exemplo, em padarias ou na lanchonete da faculdade. Também não encontro porções menores, muitas vezes preciso jogar fora parte do que compro”, diz.

O professor de inglês Manoel Aguiar, que é diabético, também enfrenta problemas ao comer fora de casa. “Todo diabético tem crises de hipoglicemia caso fique muito tempo sem comer, mas muitas vezes se você não leva algo de casa ou encontra uma loja ou mercadinho, precisa comer o que estiver ao alcance, que muitas vezes não é o recomendado para a nossa saúde”.

A cidade de Limeira, no interior de São Paulo, possui uma lei municipal que obriga todos os supermercados, hipermercados e estabelecimentos similares terão que colocar produtos alimentícios recomendados para pessoas com diabetes em locais de fácil visualização.

Uma franquia especializada em frutos do mar oferece para os celíacos – pessoas que têm intolerância ao glúten, proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e malte – três opções de pratos, além de duas sobremesas do cardápio dos restaurantes. O Bobó de Camarão, a Paella Vivenda; Bacalhau à Moda Vivenda, Brigadeiro Mole com Castanhas, Brigadeiro Vivenda podem ser apreciados sem medo por essa parcela da população, que muitas vezes se privam de fazer suas refeições fora do lar devido à pequena oferta de opções encontradas.

Mas, infelizmente, a maioria das lanchonetes, bares e restaurantes ainda não comercializa produtos feitos com itens como leite desnatado ou ainda produtos diet. Além disso, lanches rápidos são, na maioria, salgados fritos, feitos com farinha branca e ingredientes com muitas calorias, sódio, carboidratos e glúten. Ou seja, quem tem dietas restritivas ou hipocalóricas muitas vezes passa fome se não carregar um lanchinho na bolsa.

Uma pesquisa da consultoria Euromonitor indica que a venda de produtos saudáveis, como alimentos e bebidas diet, light, sem glúten, sem lactose, naturais e orgânicos, cresceu 82% de 2004 a 2009, atingindo patamar de R$ 15 bilhões ao ano. Segundo o estudo, a perspectiva de crescimento até 2014 é de 40%.

Fonte: Consumidor Moderno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s