Síndrome de Burnout: como identificar e enfrentar esse problema que afeta a vida de tantos profissionais

Publicado: 10/02/2011 por Kakao Braga em Atualidades, Psicologia & Comportamento, Saúde

As pressões que os profissionais enfrentam no dia a dia acabam por afetar seu equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. Em decorrência disso, problemas de saúde são cada vez mais comuns, afetando a produtividade e levando muitas vezes ao afastamento destes e ao prejuízo para a empresa empregadora. Um desses problemas é a chamada “Síndrome de Burnout”, que pode ser traduzido como “estar esgotado”, numa situação na qual o indivíduo sente uma carga de pressão tão grande que o torna agressivo e irritadiço.

É comum também a pessoa apresentar sintomas de desumanização, sendo grosseiro e tendo atitudes negativas com relação às pessoas com quem lida no ambiente profissional. O quadro normalmente se manifesta quando o indivíduo sente uma sobrecarga de trabalho e responsabilidades da qual não dá conta, levando a problemas físicos e psíquicos que afetam tanto sua saúde como seu rendimento na empresa onde atua.

Segundo a psicóloga Daniela Levy, codiretora da Carevolution, algumas profissões são mais acometidas pela Síndrome de Burnout, tais como os profissionais que geralmente cuidam ou solucionam problemas de outras pessoas, como médicos, enfermeiros, bancários, professores, profissionais de telemarketing e taxistas.

Algumas características da doença podem ser facilmente identificadas: depressão, esgotamento físico e mental intenso, mudanças evidentes no comportamento, isolamento, desesperança, dores de cabeça constantes, tonturas, tremores, falta de ar, oscilações de humor, distúrbio do sono, dificuldades de concentração e problemas digestivos.

Apesar de muitas vezes esses sintomas levarem o funcionário a pedir afastamento do trabalho, segundo a psicóloga, este não é o melhor caminho. Isso porque mesmo que o profissional deixe o emprego, existe muita chance dele voltar a ter a Síndrome em outro trabalho. O importante é que o indivíduo seja acompanhado por um profissional da saúde. “Se o caso for muito grave, já que a Síndrome pode levar até ao suicídio, o trabalhador tem o direito de ser afastado da atividade para se recuperar ou até, em último caso, se aposentar”, pondera Daniela.

Algumas medidas, porém, podem e devem ser tomadas pelos profissionais para evitar o Burnout e lidar com o problema, caso identifique alguns sintomas da doença:

• Organizar seu tempo, definindo quais são as prioridades;
• Ter qualidade de vida, reservando um tempo para o lazer, para a família e os amigos;
• Fazer exercícios e/ou atividades que dão prazer;
• Falar com alguém de confiança sobre as dificuldades pelas quais está passando. É importante também conversar com seus superiores no trabalho sobre eventuais problemas que esteja enfrentando;
• Realizar atividades de relaxamento;
• Procurar profissionais na área de “Wellness Coaching”, que com técnicas específicas podem ajudar a promover mudanças de comportamento visando o bem estar e ajudando o indivíduo a ter mais equilíbrio na vida.

Anúncios
comentários
  1. Excelente post!
    Colocar à tona um assunto tão polêmico, porém muitas vezes esquecido, é importantíssimo, porque a estrutura emocional e saúde dos trabalhadores são definidores do sucesso ou insucesso profissional dentro do mercado. É necessário desempenhar uma maneira de resolver isso sem que sejam prejudicados os indivíduos envolvidos, patrões, autônomos ou empregados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s