Medo

Publicado: 25/03/2010 por Elisa em Atualidades, Psicologia & Comportamento
Tags:

:: Por Paulo Ricardo Mubarack  ::

O medo, na dose adequada, é bom. Faz as pessoas prepararem-se melhor porque elas temem algo ou alguém. Quem não tem medo, não tem responsabilidade e não se prepara da melhor forma possível. Uma frase atribuída a Bernardinho é muito clara: “Sabem por que eu ganho tanto? Porque tenho medo de perder e preparo minha equipe para evitar o fracasso. Medo é causa da PREPARAÇÃO, que é um dos requisitos mais importantes para a VITÓRIA.
Não há qualquer tipo de vergonha em se ter medo. Entretanto, não se pode ficar paralisado diante do medo da derrota. Os vitoriosos experimentam, normalmente, a vitória, o fracasso e a preparação. Os perdedores apenas têm medo. Conte seus mais secretos e aterrorizantes medos para seus filhos e para seus subordinados mais diretos. Conte como você superou estes medos. Conte como, muitas vezes, estes medos eram descabidos e você estava perdendo tempo. Eles adorarão saber que podem superar seus próprios medos tanto quanto você. O medo pode ser didático e motivador. Um pouquinho de medo não faz mal a ninguém.

Burros são valentões. Afirmam não ter medo do chefe nem da empresa. Afirmam não ter medo de perder o emprego. Muitas bravatas e pouco juízo.

Você já suou frio diante da diretoria ao apresentar um projeto? Você já sentiu as pernas tremerem diante do Conselho de sua empresa? Você não dormiu no dia anterior a uma reunião muito importante? Você já sentiu um arrepio na coluna vertebral quando seu diretor ligou no final de semana? Você já estremeceu na frente de um cliente mal atendido? Parabéns, você tem o primeiro requisito para o sucesso: você tem medo de fazer mal as coisas ou de perder um negócio. Atenção: ter medo não significa ser inseguro, pelo contrário. Pessoas que são seguras e que conhecem muito bem o terreno onde estão pisando são aquelas que mais medo têm porque sabem perfeitamente os riscos que correm. Na direção oposta, estão os que não sabem nada ou são irresponsáveis ao ponto de não terem medo… O comportamento característico destas “eternas vítimas” é a displicência. Coragem, fundamentalmente, não é ausência do medo, mas é, sobretudo, O MEDO VENCIDO.

Este “medo bom” do qual falo faz pessoas e gestores se prepararem incessantemente, trabalharem mais, serem mais humildes, respeitarem mais e terem mais disciplina. O medo bom traz longevidade e qualidade de vida.
Frequentemente vejo profissionais em todos os níveis nas empresas cometerem gestos tão absurdos (mentir, maltratar o cliente, abusar da confiança do chefe etc.) que me dá vontade de perguntar: “você não tem medo?”. Sei que alguém pode estar argumentando que uma empresa deve construir um ambiente onde o medo esteja extinto. Pura e boba poesia! Na vida real do business o medo é essencial. Repito que não falo do medo covarde ou do medo paralisante. Falo do medo que instiga à PREPARAÇÃO, ao trabalho e ao estudo. Falo do medo que nos leva ao sacrifício. Alguns filósofos e poetas “pouca prática” se referem ao medo como um sentimento ruim. Não preste atenção neles. O medo bom nos impulsiona para a vitória.
 
 :: Paulo Ricardo Mubarack é presidente da Mubarack Consulting & Business School

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s