Dicas de Pilotagem Motocross

Publicado: 20/03/2009 por Andrew em Atualidades, Esportes Radicais & Semi
Tags:, , , , ,

Concentração e Atenção são as palavras chaves para uma pilotagem segura. Embora tenham a moto adequada, muitos pilotos apresentam deficiências, especialmente de postura, na hora de frenagem e na escolha correta do caminho a seguir. Alguns insistem em usar mais o freio traseiro da moto,   quando é o dianteiro que pára a moto. O traseiro serve apenas para corrigir a trajetória, a porcentagem de força nos freios é a mesma de uso no asfalto: 70% no freio dianteiro e 30% no traseiro.

Para quem deseja fazer trilhas e enduros, o piloto deve-se preparar fisicamente para o senta levanta, normal durante os percursos. Como a pilotagem no fora-de-estrada é feita quase o tempo todo em pé, é importante ajustar corretamente os comandos de freios da moto para esta posição. Tanto o pedal de freio traseiro, quanto o manete de freio dianteiro devem estar posicionados de maneira a facilitar seu acionamento enquanto o piloto está em pé sobre a moto.

Outra dica é quanto ao amaciamento do equipamento, como botas especiais para a prática do fora-de-estrada. O piloto nunca deve estrear suas botas ou outros componentes do equipamento de proteção numa viagem ou competição para não ter que sofrer com as bolhas nos pés e outros desconfortos.

Para passar buracos, lombadas e outros obstáculos que surgem de repente, sem o piloto tenha tempo de percebe-los e frear, usar o velho ditado das trilhas, na dÚvida, acelere. A tentativa de desviar ou frear com a moto já passando pelo obstáculo pode complicar ainda mais a situação, desequilibrando o veículo.

Moto: Para os iniciantes é melhor optar por uma moto de menor potência como a 125cc porque elas são mais leves e dão mais “chances”, as 250cc já são mais “viôlentas” e qualquer erro pode causar um tombo. Para o ínicio não é necessário uma moto importada que são mais caras, podemos “adaptar” modelos nacionais para o motocross como a DT200 da yamaha.

Pilotagem: sempre em pé., distribuindo o peso do corpo sobre as pedaleiras.  Isso vale para as trilhas de final de semana, provas de Enduro FIM, Cross Country e provas curtas. Nas provas de rali, a posição de pilotagem é outra. Em pé, você sentirá menos as “imperfeições” do terreno. A posição ideal é: Joelhos levemente dobrados, as pernas segurando a moto, coluna levemente inclinada para frente e cotovelos dobrados, voltados para cima. Com a moto parada, sua posição deixa você em pé, equilibrado. Você nunca deve se apoiar no guidão, ou seja, jogando ou
segurando seu peso. Você sempre deve estar apoiado nas suas pernas, não nos braços.

Centro de gravidade: que é manter seu corpo sempre em pé (ereto), ou seja, manter o corpo sempre na mesma posição de equilíbrio de quando se está no plano. Se estiver numa subida, apenas a moto deve se inclinar com o barranco. Seu corpo deve continuar “no prumo”. Ou seja, o tanque vem até você, não é você que vai até ele. Pode ser que ele nem chegue, ou que ele queira passar da sua barriga, tudo depende da inclinação da subida. Quando se está descendo, apenas a moto deve inclinar-se para baixo. Claro que, numa
descida, você não vai conseguir ficar em pé, senão terá de largar do guidão. Mas suas pernas e cintura deverão permanecer o mais ereto possível, inclinando apenas o tronco. Isso fará com que o seu peso seja deslocado para trás e você continue em equilíbrio.

Indicadores sobre os manetes: No começo, seus dedos vão doer, vai parecer que você não consegue segurar o guidão com firmeza, etc. Isso passa. Se estiver com os dedos já posicionados, as reações são muito mais rápidas e precisas. Você não vai mais “alicatar” o freio, pois o seu dedo já vai estar na posição certa quando você precisar dele. O mesmo vale para a embreagem.

Ondulações ou costelas: Eis a zona mais complicada do supercross ou motocross, onde normalmente se perdem ou se ganham as corridas. As duas maneiras mais usadas para passar esse obstáculos são as seguinte:
· Dar todo gás no motor e pular por cima delas ir “batendo” as rodas na ponta das costelas.
· Fazer as costelas de vários mini saltos, pular em uma e quando cair pular em outram e assim em diante.

Curvas: existem duas maneiras de fazer curva. Pela parte de dentro, quando estiver defendendo a posição, bloqueando legalmente a passagem do adversário. E pela parte de fora que você tem de virar a moto sem apoiar em qualquer lugar fazer no braço e na frenagem esse tipo de curva requer mais técnica que o pela parte de dentro. Quando uma curva se inicia, o piloto deve então jogar um pouco mais do seu peso sobre a pedaleira que fica para o lado de dentro da curva.

  • Curvas abertas: Não importa se o terreno está liso ou não, o método é o mesmo. Mantenha-se em pé, não sente. Ainda em linha reta, comece a desaceleração, vindo pela parte de fora da curva. Antes de iniciar a curva, trave seu freio traseiro, fazendo com que a moto derrape para se alinhar à parte de dentro da curva, apontando para a saída dela. Assim que ela estiver se alinhando, faça pressão na pedaleira do lado de fora da curva e retome a aceleração. Isto vai fazer com que você termine de derrapar enquanto aumenta a velocidade e, ao mesmo tempo, mantém seu corpo e a moto equilibrados, por causa da pressão na pedaleira. A melhor maneira de treinar este tipo de curva é fazê-las num terreno lisjohnson_supermotoo, forçando a derrapagem, até que você sinta confiança de que não vai sair voando curva afora.
  • Curvas fechadas: Existem muitos modos de se fazer uma curva fechada. Aqui vão duas explicações, ambas têm seus prós e contras: 1: Imagine um ponto no meio da curva. Trace uma reta que vai de onde você está até este ponto e outra que vai do ponto para a saída da curva. É assim que você vai fazê-la. Não reduza a velocidade; freie pouco antes do ponto determinado, travando a roda traseira e derrapando a moto de forma que ela se alinhe à outra reta. Pronto, a curva está feita. Enquanto você derrapa, reduza a marcha para já sair forte da curva. A desvantagem desta curva é que você sai um pouco mais lento, mas em compensação, você freou depois do seu adversário e não precisou fazer uma “tomada” de curva, só precisou de um ponto. 2: Você irá reduzir um pouco antes da curva e, ao entrar nela, deslocar seu centro de gravidade para frente (sentando quase em cima do tanque), jogar a perna que estiver do lado de dentro da curva para frente, em direção à roda dianteira (não é para pôr o pé no chão, é para aumentar o peso na roda da frente) e calçar o máximo que puder o outro pé na pedaleira. Isso fará com que você aumente o peso na roda dianteira evitando que ela escorregue e manterá seu equilíbrio quando a roda traseira derrapar.

Num ponto da curva (você vai ter que descobrir o seu ponto) você começa a acelerar forte. A moto deve escorregar um pouco. Quando alinhar a moto na reta, você já deve estar voltando para a posição em pé, jogando seu peso na roda de trás para dar mais tração à roda traseira. A vantagem é de você sair forte da curva. Com prática, você deve conseguir fazer mais rápido do que a outra, mas você precisa de espaço para isso. Se estiver no corpo-a-corpo e seu adversário souber fazer a outra curva, é provável que você fique para
trás.

Frenagens: As frenagens devem ser constantemente treinadas até que os reflexos fiquem tão apurados quando um freio ABS, parando a moto sem travar a roda. As frenagens das curvas é o que pode ser determinante para a vitória na corrida. Todo mundo sabe acelerar, mas poucos sabem frear. Para quem não sabe, o principal responsável por parar a moto é o freio dianteiro, não o traseiro. Em linha reta e em alta velocidade, a melhor maneira de diminuir a velocidade rapidamente é se mantendo em pé na moto, com o corpo inclinado para trás e evitar que a roda traseira saia do chão. O uso do freio dianteiro deve ser progressivo, ou seja, você deve começar a pressioná-lo levemente e ir apertando aos poucos. Nunca fique dando “trancos” no freio, não ajuda em nada. O freio traseiro deve ser usado levemente, para ajudar na desaceleração. Numa entrada de curva, o freio traseiro será travado para provocar uma derrapagem.

Regulagens: O melhor é que a própria pessoa mesmo faça suas regulagens, pois é você que irá andar na moto, você que mais a conhece, assim a regulará do modo que mais lhe agrada.

motocross-leandro-silvaiiPilotando:

  • no barro: Escolha o caminho mais seguro para evitar uma possível queda. Deixe a moto numa marcha reduzida, mas mantenha o giro do motor bem alto, para que o pneu mantenha-se limpo e não fique preso nas canaletas. Não confunda giro alto com velocidade. A velocidade será baixa, só o giro do motor que ficará alto.
  • na areia: Para não correr o risco de atolar, você deverá manter a roda dianteira bem leve. Para isso, mantenha-se sempre em pé na moto, com o corpo levemente inclinado para trás. Isto fará com que você alivie o peso na roda dianteira e aumente na roda traseira, o que dará mais tração. Aqui você também utilizará uma marcha reduzida, mas não tanto quanto no barro.
  • em piso duro: Este tipo de terreno parece tão liso quanto o barro, parece que seu pneu traseiro está furado. Para andar bem aqui, você deve utilizar uma marcha mais alta, deixando o motor trabalhar com um giro mais baixo, evitando que a roda traseira perca tração. Aceleradas bruscas e altos giros farão com que você derrape facilmente.
  • nas pedras: Mantenha-se em pé na moto, com o corpo levemente inclinado para a frente, aumentando o peso na roda dianteira, para evitar que ela “saia da mão”. Num terreno muito acidentado, utilize uma marcha reduzida, para poder conseguir obter uma resposta rápida da moto, caso precise superar algum obstáculo.

Fontes: Adrenalina Pura, RH41 e Moto & Esporte

Anúncios
comentários
  1. Emerson disse:

    Gostei muito desse site me deu muitas dicas valeu pela ajuda…

  2. Xânto disse:

    Não consigo imaginar que fazemos tudo automaticamente, todos estes detalhes tão bem comentados na reportagem……de grande valia, esta materia…..

  3. gustavo disse:

    Com essas técnicas melhorei muito a minha pilotagem, mesmo numa moto offroad nacional ttr230, fiz tudo isso e ficou muito mais fácil….Vale pela dica.

  4. Andrew disse:

    Brô, show de bola. A gente da Revista fica feliz com comentários como o seu. Blz

  5. alif disse:

    muito bóm fiz tudo oque está escrito e melhorei 80 % muito bóm valeu.

    Depois de eu ler esse site eu ganhei 6 canpionato em 1 lugar

  6. sostenes disse:

    só para aprender andar de motorcross???

  7. marcio disse:

    gostei muito dessas dicas nao vou esquecer na hora de acelerar.

  8. joão pedro disse:

    meu é meu sonho ter umas crf 450 mas minha mãe deixa eu andar
    mas eu sei dirigir
    muito bem meu cunhado me essino sem minyha mãe sabe sei ate empinas nem li as dicas ma so as fotos ja fala tudo

  9. geovane dos santos disse:

    eae galera do off road curto muito trilhas e estou pensando em começar no velocross e com essas dicas fiquei mais confiante.parabens.

  10. Roberto Cardoso disse:

    Cara, sensacional este post! Estava procurando por dicas para praticar motocross na internet e este foi de longe o melhor que eu encontrei. Muito bem explicado, bastante esclarecedor.
    Eu estou começando no esporte, mas ainda estou no estágio de compra de equipamentos de segurança, que acredito que seja o mais importante antes de mergulhar de vez no motocross, certo?
    Enfim, tenho comprado a maioria deles pelo site de artigos esportivos da Kanui, mas fiquem em dúvida quanto ao capacete e ainda não me decidi. Por isso queria pedir a ajuda de vocês. Queria um que, literalmente, não me desse dor de cabeça depois, mas há uma diferença de preço muito grande entre eles e fiquei em dúvida quanto a comprar um mais em conta. A diferença de um da One para um da ASW, por exemplo, chega a 1.000 reais! Vocês podem me indicar qual das marcas tem o melhor custo-benefício? O site que eu uso é esse: http://www.kanui.com.br/compre-por-esporte/motocross-capacetes/

    Muito obrigado, valeeu!!

  11. Samuel Do Carmo disse:

    Roberto Cardoso. Eu acho que devias comprar um capacete que achar melhor e tu adaptas bem. porque eu ja exprementei muintos capacetes de boas marcas e não gostei. Atualmente uso um capacete da “FOX” . Cada um tem seu gosto. Por exemplo podem te dizer que o capacete da “FOX” é o melhor do mundo mais tu podes não gostar, pode por exemplo exprimentar um da “ASW” e gostar muito mais. Mas atenção compra um bom capacete !!! . Podes comprar um capacete que te agradar, mas na hora da quedas podes magoar muito a cabeça.

  12. luis Fernando disse:

    Muito boas as dicas valeu!!!!

  13. Renato Macedo disse:

    Salve, meus amigos…

    Então.. estou com muita vontade de começar no motocross. Não a título de competição, mas como um esporte para alívio do stress do dia a dia.

    Porém não estou podendo gastar muito, logo pensei em iniciar com uma dt 180 ou 200, que são as mais em conta.

    Quanto ao equipamento, eu encontrei kits no mercado livre com roupas, protetores, botas e capacete a R$650. Eu pensei em trocar apenas o capacete, que é um Liberty (frágil), por um mais confiável.

    O que acham quanto à moto?

    ps: Tenho boa experiência em pilotagem em asfalto, que me dão conhecimento de frenagem, aceleração e centro gravitacional, logo acredito que possa dominar uma 200cc.

    Abraços a todos…!!!

    Ah, EXCELENTE post…!!!

  14. josiano borges disse:

    ótimas dicas melhorei muito depois de ler essas dicas!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s