Símbolos: Ouroboros ou a serpente que morde a própria cauda

Publicado: 09/06/2009 por Kakao Braga em Atualidades, Filosofia, História

Ouroboros (ou oroboro ou ainda uróboro) é um símbolo representado por uma serpente, ou um dragão, que morde a própria cauda. É um símbolo para a eternidade. Está relacionado com a alquimia, que é por vezes representado como dois animais míticos, mordendo rabo um ao outro. É possível que o símbolo matemático de infinito tenha tido sua origem a partir desta imagem.

Segundo o “Dictionnaire des symboles” o ouroboros simboliza o ciclo da evolução voltando-se sobre si mesmo. O símbolo contém as ideias de movimento, continuidade, autofecundação e, em consequência, eterno retorno.

Albert Pike, em seu livro, Morals and Dogma [pg 496], explica: “A serpente, enrolada em um ovo, era um símbolo comum para os egípcios, os druidas e os indianos. É uma referência à criação do universo”.

A forma circular do símbolo permite ainda a interpretação de que a serpente figura o mundo infernal, enquanto o mundo celeste é simbolizado pelo círculo.

Noutra interpretação, menos maniqueísta, a serpente rompe uma evolução linear, ao morder a cauda, marcando uma mudança, pelo que parece emergir num outro nível de existência, simbolizado pelo círculo.

Para alguns autores, a imagem da serpente mordendo a cauda, fechando-se sobre o próprio ciclo, evoca a roda da existência. A roda da existência é um símbolo solar, na maior parte das tradições. Ao contrário do círculo, a roda tem certa valência de imperfeição, reportando-se ao mundo do futuro, da criação contínua, da contingência, do perecível.

O ouroboros costuma ser representado pelo círculo. O que parece indicar, além do perpétuo retorno, a espiral da evolução, a dança sagrada de morte e reconstrução.

Pode-se referir que o ouroboros, ou símbolos semelhantes, constam de obras alquímicas, nas quais significa “alimenta este fogo com fogo, até que se extinga e obterás a coisa mais estável que penetras todas as coisas, e um verme devorou o outro, e emerge esta imagem”. Isto, após uma fase em que pela separação se divide o um em dois, que contém em si mesmo o três e o quatro, “… é um fogo que consome tudo, que abre e fecha todas as coisas”.

Registre-se ainda, na tentativa de avançar pistas para a raiz etimológica da palavra “ouroboros”, que em copta “ouro” significa “rei” e em hebreu “ob” significa “serpente”.

Se o segundo símbolo constante da nossa imagem for uma alcachofra, diga-se que esta é tida por alguns o análogo vegetal da fénix, pois após ser submetida ao calor a sua flor perde o colorido e fica totalmente branca, posto o que renasce.

Geralmente, nos livros antigos, o símbolo vem acompanhado da expressão “Hen to pan” (o um, o todo). Remete-se assim, mais uma vez, ao tema da ressurreição, que pode simbolizar o “novo” nascimento do iniciado.

Em relação a certos ensinamentos do budismo tibetano (como dzogchen e mahamudra), pode-se esboçar uma maneira específica para vivenciar (em estado meditativo) este ato de “morder a própria cauda”. Por exemplo, ao perceber-se num estado mental atípico (além das formas habituais) procurar olhar a si mesmo.

Os primeiros registros deste arquétipo foram encontrados entre os egípcios, chineses e povos do norte europeu (associado a serpente folclórica Jörmungandr) há mais de 3000 anos. Na civilização egípcia, é uma representação da ressurreição da divindade egípcia Rá, sob a forma do Sol. Também é encontrado entre os fenícios e gregos.

Símbolos & Signos

Entre tantos símbolos relacionados, o Ouroboros é um dos que apresenta maior hipótese de significados. Isto porque há outras representações iconográficas contidas e associadas ao próprio Ouroboros.

A serpente, que nos textos canônicos está associada às aspectos maléficos, como no livro Gênesis 3:13, (Perguntou o Senhor Deus à mulher: Que é isto que fizeste? Respondeu a mulher: A Serpente enganou-me, e eu comi.), na maior parte das culturas pré-cristãs, é um símbolo de sabedoria. Partindo do princípio que o Ouroboros é um símbolo pré-cristão, pode-se supor que este conceito de sabedoria é predominante.

Mas, pode-se também interpretar que o ato de engolir a si mesma, é uma interrupção do ciclo humano em uma busca evolutiva do espírito noutros planos. Por outro lado, pode significar a auto-destruição através do ato de consumir a própria carne e até mesmo a auto-fecundação. Ainda, o fato de encontrar-se na forma circular é um arquétipo representativo de movimentos ininterruptos e pode representar também o Universo. Além da interpretação de que a serpente atua nas esferas inferiores (Inferno), enquanto o círculo representa o Reino Divino. Em outras situações, o animal tem duas cores distintas. Neste caso, provavelmente, uma referência a Yin e Yang, ou pólos masculino e feminino, dia e noite, bem e mal, e outros paradoxos da natureza.

Sob uma perspectiva alquímica, o Ouroboros é representado na figura de dois animais míticos engolindo um a cauda do outro; não sendo, neste caso, necessariamente, uma serpente. Segundo o Uractes Chymisches Werk (Leipzig – 1760), “alimenta este fogo com fogo, até que se extinga e obterás a coisa mais estável que penetras todas as coisas, e um verme devorou o outro, e emerge esta imagem”. Esta descrição alquímica é uma alusão ao processo de separação do material em dois elementos distintos.

Porém, de uma forma mais ampla, o Ouroboros é uma representação dos ciclos reencarnatórios da alma humana. Ainda, segundo o Dictionnaire des Symboles, simboliza o “ciclo da evolução fechado sobre si mesmo. O símbolo contém as idéias de movimento, continuidade, autofecundação e, em conseqüência, o eterno retorno”. Na obra Magic Symbols de Frederick Goodman é citado “serpente… [seja] o símbolo da sabedoria dos verdadeiros filósofos” e “O Tempo, do qual apenas a sabedoria brota”.

Atualmente, o Ouroboros é comumente encontrado em amuletos esotéricos, na simbologia maçônica e na teosofia. Porém, também está presente no selo dos Estados Unidos da América, posicionado acima da águia bicéfala. Ainda, é muito comum encontrá-lo em monumentos funerários, fazendo alusão

Fontes: Wikipedia

About these ads
comentários
  1. Sergio D. disse:

    Legal essa matréria!
    É impressionante como um silbolo tão antigo tenha tantoos significados.

  2. Hoozemberg Sena de Oliveira disse:

    É impressionante o quanto esse símbolo, ao final, representa o homem partindo para entender o tudo e terminando por saber de nada. O ciclo é o básico e por isso muito evidente. Não teria, considerando-se este último axioma, na verdade sempre cultuado o Cosmos em si e não, e nunca, a um ser que o criou?

    O ser humano é um pinto cuja casca-de-ovo não resisitiu ao seu crescimento. Quando abriu os olhos, o pinto não viu sua mãe, e assim cresceu, sem saber de onde veio nem quem o pôs ali.

  3. emerso rocha disse:

    reencarnaçao significa o desejo ou a compulsoriedade da alma humana de retornar novamente a civilizaçao humana – neste ou em outro planeta homólogo – com novo cerebro que lhe dara a condiçao de uma nova personalidade e tudo o que se relacione a ela, em condiçoes psíquicas mais avançadas, independente de que meio-ambiente for, incluido ai , principalmente, o meio-ambiente humano. ouroboros é engolir-se a si mesmo. engolir-se a si mesmo seria, simbolico e real, beber a propria urina – urinoterapia- e irrigar musculos e corpo reinjetando o proprio sangue – auto-hemoterapia- duas terapias alternativas que vem ganhando milhares de adeptos no mundo todo, pois renovando corpo, mente e cerebro, é o exemplo mais vivo e atual de que, nesta vida, pessoas vem ” interrompendo sua atual etapa deste ciclo reencarnatorio da alma” e experimentando, cada um é que sabe, outras etapas, outras conexões, situações, etc, que seriam vivenciadas em sua próxima reecarnação. isso é ouroboros decifrado. pode ter certeza.

  4. Sophya Almeida disse:

    Este “milhão” de significados fechados em “alimentar o fogo com o próprio fogo até que ele se extingua” lembra o trabalho sem-fim na busca do Conhecimento. Busca-se infinitamente e nada se sabe…Mas como devemos atentar para a beleza do caminho,podemos guardar a ansiedade para , com paciência, um dia alcançarmos a META! O Importante é não desistir porque o caminho é longo e nem temos idéia de quanto tempo será necessário: talvez num “insight”, talvez em várias existências, talvez em outro planeta, quem sabe??? “Há mais mistérios entre o céu e Terra, do que supõe a vã filosofia” SHAKESPEARE (esse deveria saber mas não sabia que sabia!!!!)

    Bom domingo, confrades!!! Namastê!

  5. O ouroboros faz uma interpretação diferente e mais rica e saudável do Gêneses bíblico.

  6. Priscila disse:

    Adooorei o simbolo e o significado!!! Vou tatuar amanha msm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s